Política

4 de dezembro de 2019 15:05

‘Não tem sentido ANM continuar fiscalizando Braskem depois de toda omissão’, diz vereador

Vereador Francisco Sales (PPL) usou a tribuna da Câmara Municipal de Maceió para alertar que é preciso uma intervenção

↑ Vereador Francisco Sales (Foto: Assessoria)

Diante da iminência sobre a conclusão dos estudos de sonares nos poços de extração de sal-gema da Braskem, o vereador Francisco Sales (PPL) usou a tribuna da Câmara Municipal de Maceió, na tarde de terça-feira (3), para alertar que é preciso uma intervenção para que a Agência Nacional de Mineração (ANM) não seja o órgão responsável por avaliar e fiscalizar todo esse trabalho fundamental para apontar a situação real sobre a estabilidade do solo nos bairros de Pinheiro, Bebedouro, Mutange e Bom Parto.

Na conclusão dos trabalhos da Comissão, os vereadores haviam alertado para omissão da ANM diante da fiscalização da atividade de exploração da Braskem em Alagoas. “E agora o que estamos vendo é mais do mesmo, pois se a Agência Nacional de Mineração tivesse realizado de fato o seu papel de agente fiscalizador essa tragédia não teria ocorrido. Não tem sentido essa agência continuar fiscalizando a Braskem depois toda omissão e deveria ser condenada, assim como a empresa”, diz vereador.

A ANM será o órgão responsável por analisar toda documentação entregue pela Braskem sobre os sonares feitos nos 35 poços, o que aponta as condições de estrutura e se existe alguma instabilidade ou não. Segundo o vereador, o órgão vinculado ao Ministério de Minas e Energia precisa ser apontado como parte causadora do problema e não simplesmente continuar sendo mantida como uma autarquia fiscalizadora.

“ANM não pode continuar fiscalizando a Braskem se também é culpada por essa tragédia. O que nós estamos percebendo é uma tentativa de livrar a Braskem e deixar ela livre para voltar a operar normalmente, além de tentar valorizar a imagem da empresa para que torne viável para venda. A Agência Nacional de Mineração não tem credibilidade alguma para atestar e falar sobre a estabilidade dos poços de sal-gema da Braskem”, acrescentou Francisco Sales.

Como sugestão, o vereador sugeriu que o Serviço Geológico do Brasil, através da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) assuma a fiscalização desses poços, já que também é uma empresa governamental ligada ao Ministério de Minas e Energia.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH