Política

19 de novembro de 2019 10:57

Prefeitura revoga decreto por causa do óleo

Ontem (18), o prefeito Sérgio Lira (PP) revogou o decreto de alerta máximo

↑ Prefeito Sérgio Lira lembra que o turismo no município também depende da balneabilidade das praias (Foto: Divulgação)

No final de outubro, preocupado com a grande quantidade de óleo que chegava às praias do município, a Prefeitura de Maragogi publicou no Diário Oficial dos Municípios um decreto de alerta máximo para vigorar até o dia 23 de dezembro em todo o seu território. Ontem (18), o prefeito Sérgio Lira (PP) revogou o decreto de alerta máximo justificando que não há mais episódios registrando manchas de óleo em nenhuma praia do município, nem nos diversos rios que cortam a região.

No entanto, a gestão municipal decidiu manter o Grupo Técnico de Acompanhamento (GTA), que tem como papel monitorar e promover as ações necessárias para identificar pontos de ressurgência dos resíduos de petróleo, recolhê-los e encaminhá-los para destinação adequada, segundo os parâmetros legais vigentes.

A Prefeitura de Maragogi publicou no Diário Oficial dos Municípios (DOM) do dia 28 de outubro um decreto de alerta máximo no município. A medida foi tomada pelo prefeito Fernando Sérgio Lira Neto por conta da invasão de petróleo que atingiu o Nordeste.

O decreto publicado à época informava que os trabalhos de recolhimento dos resíduos de óleo “serão considerados prioritários enquanto vigorar o estado de alerta máximo”.

Naquele período a gestão justificou também que tomou a medida por conta que a atividade turística de Maragogi depende fundamentalmente das condições de balneabilidade das praias e integridade dos atributos naturais.

Fonte: Tribuna Independente / Claudio Bulgarelli

Comentários

MAIS NO TH