Política

18 de outubro de 2019 08:33

JHC e Davi Davino Filho lideram pesquisa para a Prefeitura de Maceió

Os dois parlamentares se dizem felizes, mas que estão focados em seus mandatos

↑ Deputados, um na ALE e outro em Brasília, Davi Davino Filho e JHC lideram pesquisa Ibrape à Prefeitura de Maceió (Fotos: (Assessoria)

Os deputados – federal e estadual – João Henrique Caldas (JHC), do PSB, e Davi Davino Filho (Progressistas) aparecem mais uma vez no topo das intenções de voto para a Prefeitura de Maceió. Segundo a recente pesquisa do Ibrape, divulgada na quarta-feira (16), ambos os parlamentares estão à frente de nomes como o ex-governador Ronaldo Lessa (PDT) e o procurador-geral de Justiça Alfredo Gaspar.

Segundo os números apresentados, o líder do PSB em Alagoas possui – nas duas simulações – entre 27 % e 29%. Davi Davino Filho, 15% e 16%. Ronaldo Lessa, 13% e 15%; e Alfredo Gaspar, 12% nas duas.

Já na pesquisa espontânea, onde nenhum nome é fornecido aos entrevistados, JHC obteve 10,4% das citações. Já Davi Davino Filho, 2,1%.

A reportagem procurou saber como os líderes da recente pesquisa do Ibrape para a disputa eleitoral à Prefeitura de Maceió em 2020 receberam os números. Por meio de sua assessoria, Davi Davino Filho disse estar “feliz com o reconhecimento, mas o foco é em seu mandato como deputado estadual”.

JHC também reforça que seu foco é o mandato em Brasília, mas, assim como o colega da Assembleia Legislativa Estadual (ALE), se disse feliz com os percentuais apresentados pelo Ibrape.

“É sempre motivo profundo orgulho e responsabilidade ser lembrado pela população de Maceió, mas o momento é de centrar esforços em nosso mandato, nas reformas necessárias ao país e em situações como o afundamento dos bairros na nossa capital. O processo eleitoral ainda é uma realidade distante para a população e isso deve ser respeitado”, comenta JHC através de sua assessoria.

O Ibrape entrevistou 5 mil pessoas entre os dias 11 e 14 de outubro. A pesquisa tem margem de erro de três pontos para mais ou para menos.

RUI PALMEIRA

Mesmo não sendo candidato à reeleição por já estar em seu segundo mandato, o prefeito Rui Palmeira (PSDB) aparece atrás apenas de JHC na pesquisa espontânea. O tucano obteve 6,7% das citações.

Os tucanos que mais pontuaram foram a deputada federal Tereza Nelma, com 4%; o deputado estadual Dudu Ronalsa, com 2%; e o vereador – e presidente da Câmara Municipal de Maceió – Kelmann Vieira, com 2% e 3%, numa simulação onde há apenas ele do PSDB.

Na simulação maior também estão o secretário de Governo da Prefeitura Eduardo Canuto e o vice-prefeito Marcelo Palmeira (Progressistas), ambos 1%.

“JHC era esperado; Davi é novidade”, afirma cientista político

 

Para o cientista político Ranulfo Paranhos, os números do Ibrape não apresentam grandes novidades, exceto pelo bom desempenho de Davi Davino. Contudo, ele ressalta ser preciso esperar o quadro político daqui até a eleição em 2020 e como as forças irão se comportar até lá.

“O JHC já era esperado, até porque ele já trabalha essa eleição há muito tempo. Já foi candidato a prefeito na eleição passada, na última quando se reelegeu para deputado federal teve em Maceió sua maior votação. A capital é, basicamente, seu núcleo”, comenta. “Mas novidade é o Davi Davino aparecer bem assim. Acredito que seja porque quem acompanha mais a política, nos últimos anos, esteja com muito foco em Brasília, na conjuntura nacional, e não esteja prestando atenção à politica em Alagoas”, completa Ranulfo Paranhos.

Ele explica o argumento ao entender que mesmo aqueles que acompanham a política não têm prestado muita atenção às movimentações locais.

“Acho que o Davi Davino Filho tem feito trabalho de base sem as pessoas prestarem muita atenção. Ao menos quem acompanha a política”, diz o cientista político.

ALIANÇAS

Ranulfo Paranhos ressalta a necessidade de composição entre grupos e partidos para vencer as eleições à Prefeitura de Maceió. Disputar sozinho, em sua avaliação, dificulta demais o êxito eleitoral na capital alagoana.

“Vários nomes já tentaram ser prefeito de Maceió, mas acabam estragando seu projeto, Por N razões. É preciso aglutinar setores, sem isso é muito difícil. Ainda é cedo e é preciso saber o ambiente político na eleição e a composição com partidos e grupos”, afirma o cientista político.

No caso específico de JHC, Ranulfo Paranhos acredita que se o parlamentar não conseguir materializar a aliança com o senador  Rodrigo Cunha – atual presidente do PSDB em Alagoas – feita em 2018, o líder do PSB deve se apresentar como uma terceira via “de novo”.

A possibilidade de aliança entre o PSDB e JHC para 2020, devido à relação com Rodrigo Cunha, já foi rejeitada publicamente pelo prefeito Rui Palmeira.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH