Política

17 de setembro de 2019 09:50

Agentes de combate às endemias cruzam os braços a partir desta terça-feira

Categoria quer a implantação do piso salarial nacional

↑ (Foto: Sindacs-AL)

Centenas de agentes de combate às endemias de Maceió deflagram greve por tempo indeterminado a partir desta terça-feira (17). Eles cobram a implantação do piso salarial da categoria.

A reivindicação está embasada na Lei Federal 13.708/18, que estabelece a implantação do piso salarial para agentes de saúde e de combate às endemias em todo o Brasil. A prefeitura de Maceió não cumpre com a lei e paga aos trabalhadores um valor abaixo do praticado nacionalmente.

Segundo o Sindicato dos Agentes de Saúde de Alagoas (Sindacs-AL), os agentes de combate às endemias de Maceió recebem R$ 1.100,00 em média, enquanto o piso salarial dos agentes de saúde em todo o Brasil é de R$ 1.250,00 (com progressão prevista para os próximos anos). O presidente do Sindacs-AL, Fernando Candido disse que a categoria tentou negociar com o município de Maceió, porém não houve acordo.

O sindicalista lembrou que o boletim epidemiológico divulgado no último dia 11 de setembro pelo Ministério da Saúde aponta que Alagoas teve o maior aumento de casos prováveis de chikungunya em 2019. “Além disso, só esse ano já foram registrados mais de 30 casos de zika em gestantes no estado. Isso só mostra a importância do trabalho realizado pelos agentes de endemias”, reforçou Fernando Candido.

A reportagem aguarda posicionamento da Prefeitura de Maceió acerca da greve dos agentes de endemias do município.

Fonte: Tribuna Hoje, com assessoria

Comentários

MAIS NO TH