Política

12 de setembro de 2019 08:50

Carimbão: ‘2020 será entre Rui e Renan’

Ex-deputado revela manter conversas com o governador sobre próximas eleições e desejo de Bolsonaro em acabar com o Ibama

↑ Carimbão não adianta se será candidato nas próximas eleições (Foto: Edilson Omena)

Sem mandato parlamentar, Givaldo Carimbão (Avante) afirma estar dedicado 100% à carreira empresarial, mas como todo político, mantém um olho no peixe e outro no gato. À Tribuna, o ex-deputado federal revela manter conversas sobre as próximas eleições com o governador Renan Filho (MDB), mas não adianta que postura adotará em 2020.

Para ele, a disputa ficará entre os polos liderados pelo emedebista e pelo prefeito de Maceió Rui Palmeira (PSDB).

Contudo, Carimbão ressalta estreiteza de relação com o governador e que o chefe do Executivo estadual tem muitas cartas na manga. “Tenho estado com o governador Renan Filho e temos uma relação muito estreita e vamos ver o que é que vai ser. Agora estou focado nos meus negócios. Ele quis conversar comigo sobre esta nova forma no nível de chapas, pois agora é o partido. Acho que o governador poderá ter 03 ou 04 chapas”.

Carimbão afirma que neste momento o tom da conversa com o governador é apenas no sentido do esclarecimento sobre o processo de coligação no processo eleitoral.

COLIGAÇÕES

Após a aprovação da reforma política aprovada em outubro de 2017, que mudou a forma de coligações que podem ser feitas nas eleições, Carimbão afirma estas serão as primeiras eleições onde as mudanças serão aplicadas.

“Esta eleição é novidade. É a primeira vez que não vai ter coligação proporcional. Na eleição passada não era necessário chegar aos 100% do número da legenda, e também com o aumento do número de vereadores, 25, necessitará de uma votação para o partido. Agora é o partido”, afirma o ex-deputado federal.

BOLSONARO

Carimbão lamenta o momento que o país está atravessa, principalmente, pelo desmonte promovido pelo Governo Federal no Ibama, que para o ex-parlamentar afirma ser algo histórico no Brasil. Ele afirma que o então candidato Jair Bolsonaro (PSL), numa reunião, disse “eu vou acabar com essa b… do Ibama”, revela. “Tudo que está acontecendo na Amazônia na questão ambiental, fazendo assim um retrospecto, é reflexo desta política. Nem a ditadura acabou com o Ministério do Meio Ambiente”, completa o ex-deputado.

Ele diz que dar “nota 8” ao presidente porque “ele não enganou ninguém. Ele é isso que ai está. Tiro dois pontos, pois ele disse que não ia deixar ninguém roubar e já deixou”, afirma o ex-parlamentar que ressalta ter convivido durante vários anos quando o presidente era deputado federal.

Carimbão lembra que uma das bandeiras principais do ainda candidato à Presidência Jair Bolsonaro era a questão do combate à corrupção e o enxugamento da máquina pública e que se afirmava como representante de uma nova política. Mas após as eleições, em especial para a aprovação da reforma da Previdência, “os 380 votos não foi porque ele é bonito. O que ele abriu com o ‘centrão’ para negociações daqui mais 1 ou 2 anos vai aparecer”.

Fonte: Tribuna Independente / Jairo Silva

Comentários

MAIS NO TH