Política

3 de setembro de 2019 08:33

Rui Palmeira quer tucano para sucessão em 2020

Prefeito de Maceió rejeita apoio a João Henrique Caldas e, sem citar diretamente, escanteia seu vice, Marcelo Palmeira

↑ Rui Palmeira (Foto: Edilson Omena/arquivo)

Rui Palmeira quer um nome do PSDB para disputar sua sucessão na Prefeitura de Maceió em 2020. O chefe do Poder Executivo da capital alagoana descartou – na segunda-feira (2) – a ideia de ter um nome de outra legenda encabeçando a chapa de sua base de apoio.

Contudo, ele ressalta ainda ser cedo para definições e o que este momento é de muita “fofoca”.

“Agora é um momento de muitas especulações e vamos ouvir muita coisa que não procede, muita coisa plantada e muita fofoca. O que posso garantir é o PSDB vai ter um nome competitivo para disputar a eleição do próximo ano. Um nome do partido”, afirma Rui Palmeira que espera que o programa “Nova Maceió” resulte em avaliação positiva nos meses que antecedem as eleições devido ao grande volume de obras que se pretende fazer.

Sua fala joga os tucanos – ao menos oficialmente – para longe de qualquer apoio ao deputado federal João Henrique Caldas (JHC), cuja possibilidade foi levantada após o senador Rodrigo Cunha assumir o comando do PSDB em Alagoas. A mãe do deputado, Eudócia Caldas (PSB), é a primeira suplente do parlamentar tucano.
“O JHC me faz oposição e não é do PSDB. O PSB, inclusive, é um partido que tem posicionamentos bem distintos do PSDB. Então, eu não vejo qualquer lógica em apoiar o JHC, nem para mim, nem para os eleitores dele, já que estamos em campos opostos. Não vejo lógica nessa união”, afirma Rui Palmeira.

O prefeito não cita diretamente Marcelo Palmeira (Progressistas), mas sua fala sobre o candidato de seu grupo ser do PSDB também coloca seu vice para escanteio.

O vice-prefeito, em entrevista à Tribuna na edição de 27 de abril, admitiu a vontade de ser o nome à sucessão de Rui Palmeira, mas ressaltou que é preciso considerar a vontade do grupo de partidos. Nesta segunda, ele volta a falar no conjunto de partidos, que a definição sobre qual deles indicará o candidato está em aberto e que “por enquanto” não almeja candidatura.

“Mas o grupo terá [candidato]. Agora se vai ser do PP, PSDB ou do DEM, não há definição”, diz Marcelo Palmeira.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH