Política

2 de agosto de 2019 08:44

Relatório da CEI da Braskem deve ser concluído em 15 dias

Segundo o vereador Francisco Sales, presidente da Comissão, executivos da Braskem serão ouvidos mais uma vez para confrontar depoimentos

↑ Empresa Braskem é acusada de causar os afundamentos nos bairros do Pinheiro, Mutange e Bebedouro (Foto: Edilson Omena)

O relatório da Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Câmara Municipal de Maceió que apura as causas das rachaduras e afundamento dos bairros Pinheiro, Mutange e Bebedouro deve ser concluído em alguns dias. Os últimos depoimentos, de executivos da Braskem, serão tomados nesta sexta-feira (2).

Segundo o vereador Francisco Sales (PPL), presidente da CEI, os diretores da empresa serão ouvidos novamente para a confrontação de informações adquiridas pela Comissão em outros depoimentos.

“Vamos ouvi-los e, em seguida, encerrar nossos trabalhos. No máximo em 15 dias a gente vai fechar tudo. Eles [Braskem] foram os primeiros a ser ouvidos e agora vão ser os últimos”, comenta o parlamentar. “Queremos confrontar informações com os outros depoimentos”, completa.

PRAZO

No final de junho, no dia 26, a CEI pediu à Câmara a prorrogação de seu prazo de funcionamento por mais 60 dias. Portanto, o prazo final para a entrega de seu relatório é 26 de agosto.

Já naquele dia a assessoria de comunicação disse à Tribuna que entre os motivos estava, inclusive, ouvir mais uma vez os diretores da Braskem. A Câmara entrou em recesso no mês de julho e retornou com as atividades parlamentares nesta quinta-feira (1º).

CPRM

De acordo com o relatório da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) que analisou as causas das rachaduras e afundamento dos três bairros maceioenses, apresentado no último dia 8 de maio, a extração de sal-gema da Braskem é a responsável pelo problema.

BRASKEM

A Braskem sempre negou ser a responsável pelas rachaduras e afundamento dos bairros Pinheiro, Mutange e Bebedouro. A empresa, inclusive, contesta todos os dados apresentados pela CPRM e realizou estudos com outros geólogos.

Na última nota enviada à Tribuna Independente, para uma reportagem sobre um estudo do engenheiro Abel Galindo, na edição de 20 e 21 de julho, empresa ressaltou que “está empenhada em completar estudos que contribuirão para esclarecer as causas dos fenômenos que afetaram os bairros do Pinheiro, Bebedouro e Mutange. Só com o esclarecimento científico dessas causas é que soluções poderão ser delineadas para garantir a volta das pessoas para suas casas”. (C.A.)

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH