Política

18 de julho de 2019 09:03

Câmara cassa mandato de prefeito de Rio Largo

Por 10 votos a um, vereadores acatam denúncias de improbidade administrativa contra o gestor de Rio Largo, Gilberto Gonçalves

↑ Gilberto Gonçalves tentou articular um apoio da população para pressionar os vereadores a não cassá-lo por atos de improbidade administrativa (Foto: Reprodução)

A Câmara Municipal de Rio Largo cassou o mandato do prefeito Gilberto Gonçalves (PP) por 10 votos a um sob a acusação geral de improbidade administrativa, em sessão extraordinária realizada ontem (17). Cada item da acusação foi votado em separado e todos com o mesmo placar, tendo apenas o voto contrário de Ismael Ferreira (PRTB). A decisão dos parlamentares pode ser revertida judicialmente.

A vice-prefeita é Cristina Cordeiro, ex-esposa de Gilberto Gonçalves.

As acusações foram nomear uma filha como secretária com idade inferior ao mínimo exigido em lei; nomear filhos que são sócios-administradores de empresas; e uso de caminhão da  Prefeitura para fins particulares.

O relatório do processo, da vereadora Patrícia Pinto (PSDB), aponta que as acusações se mostraram todas verdadeiras. Ainda segundo a parlamentar, a defesa do prefeito tentou, inclusive, “induzir a Comissão Processante ao erro”.

Ao narrar a denúncia de nomeação de sócios de empresas – filhos do prefeito –, a defesa de apresentou documento dizendo que elas estavam inativas, mas, de acordo com a relatora, as empresas estavam inaptas e não inativas. Daí, a indução ao erro.

Gilberto nomeou uma filha como secretária municipal, mas ela tinha apenas 18 anos de idade e a Lei Orgânica Municipal de Rio Largo impõe idade mínima de 21 anos para exercer essa função. Ainda segundo as denúncias, o prefeito utilizava um caminhão da Prefeitura para transportar gado de corte para a empresa Mafrips Matadouro Frigorífico e Prestação de Serviço.

OUTRO LADO

A defesa de Gilberto Gonçalves na sessão na Câmara de Rio Largo ficou a cargo do advogado Henrique Vasconcelos. Em uma longa fala, ele tentou desqualificar todas as acusações.

Logo de início, ele afirmou que todo o processo possuía desvio de finalidade.

“Os senhores [aos vereadores] estão prejudicando a sociedade e afrontando a Constituição, a soberania popular. Hoje é ele, amanhã serão vocês. Esse processo está com desvio de finalidade”, afirma o advogado Henrique Vasconcelos.

Ele também leu um suposto diálogo entre um denunciante e o vereador Ismael Ferreira, no qual a conversa trata de uma trama contra Gilberto Gonçalves. O advogado também reafirma cerceamento de defesa porque o prefeito não teve acesso aos depoimentos, mas apenas a uma ata dos mesmos.

Sobre a acusação envolvendo a Mafrips, Henrique Vasconcelos afirma ser fraude processual.

MOBILIZAÇÃO

Gilberto Gonçalves passou os últimos dias tentando mobilizar a população em seu favor. Uma multidão se acumulou em frente à Câmara Municipal, tanto contra, tanto a favor do prefeito.

Em áudios divulgados nas redes sociais, o prefeito afirmou que os vereadores dariam um “golpe” e que estavam “vendidos”.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH