Política

19 de junho de 2019 08:57

‘Mutange precisa ser evacuado’

Aos vereadores, técnico da CPRM afirma já ter avisado à Prefeitura de Maceió sobre necessidade de desocupação em 2017

↑ Vereador Francisco Sales, presidente da CEI, conduz a reunião com Thales Sampaio, da CPRM (Foto: Assessoria)

O bairro inteiro do Mutange precisa ser desocupado. A forte afirmação foi feita por Thales Sampaio, da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), à Comissão Especial de Inquérito (CEI) sobre as rachaduras nos bairros Pinheiro, Bebedouro e Mutange da Câmara Municipal de Maceió (CMM) nesta terça-feira (18).

Segundo o vereador Francisco Sales (PPL), presidente da CEI, o técnico da CPRM afirmou ainda que o alerta para a evacuação do bairro foi dado à Prefeitura de Maceió ainda em 2017, por causa das fortes chuvas que atingiram a capital alagoana naquele ano.

“O Thales [Sampaio] disse que o Mutange já é um local de risco permanente e, por causa das chuvas de 2017, a CPRM já havia dito à Prefeitura para desocupar o bairro inteiro. Agora, com essa situação da Braskem, a necessidade segue”, comenta o parlamentar.

A CEI vai pedir à Prefeitura de Maceió, ainda esta semana, explicações sobre a informação passada por Thales Sampaio. “Queremos saber o motivo de nada ter sido feito”, diz Sales.

A Tribuna Independente tentou contatar a Defesa Civil Municipal para saber se ela recebeu a recomendação da CPRM em 2017 e o que foi feito desde então; e se também recebeu a mesma recomendação este ano. Contudo, sem sucesso até o fechamento desta edição.

Ainda quando divulgou o relatório da CPRM, no dia 8 de maio, com o resultado dos estudos para identificar as causas das rachaduras nos bairros Pinheiro Mutange e Bebedouro, Thales Sampaio ressaltou a situação do Mutange.

“Quando eu cheguei para fazer a análise do que está acontecendo, eu bati o olho na escarpa [falha geológica] do Mutange e perguntei aos técnicos da Braskem sobre ela. Eles disseram que não tinha. Ora, eu sou velho e não precisei de tantos estudos para identificar as falhas do Mutange. A gente entende que o quadro do Mutange é mais grave do que o registrado no bairro do Pinheiro”, afirmou Thales Sampaio na apresentação do relatório.

ANM

Ainda de acordo com o vereador, a CEI via cobrar da Agência Nacional de Mineração (ANM) a presença de um técnico junto aos poços de sal-gema da Braskem em Maceió para acompanhar a instalação de sonares para localização das cavernas deixadas no subsolo por causa da extração do mineral. Segundo ele, a empresa tem feito isso sem nenhuma fiscalização.

O vereador ainda ressalta que a Braskem será ouvida mais uma vez pela CEI na próxima semana.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH