Política

13 de junho de 2019 08:42

Rui Palmeira e Renan Filho irão tratar sobre ações em bairros afetados por rachaduras

Encontro pode ocorrer ainda esta semana, mas, no entanto, a data não está definida

↑ Rui Palmeira informou que já manteve contato com o governador (Foto: Edilson Omena/arquivo)

O encontro entre o prefeito de Maceió Rui Palmeira (PSDB) e o governador Renan Filho (MDB) para tratarem de ações conjuntas nos bairros Pinheiro, Mutange e Bebedouro – afetados por rachaduras e afundamento – pode ocorrer ainda esta semana. Nenhuma das assessorias confirma a data, mas essa reunião é algo que não deve demorar.

Já na última terça-feira (11), o prefeito disse à imprensa que o governador fez contato e que faltavam ajustes de agenda para o encontro. Foi Rui Palmeira quem procurou Renan Filho para tratar do problema dos três bairros.

“O governador Renan Filho fez contato telefônico e gostaria de uma reunião ontem [segunda, 10], mas infelizmente eu estava fora de Alagoas. Cheguei e ele foi para Brasília, mas espero que essa semana possamos sentar e definir ações em conjunto entre Estado, Prefeitura e União”, disse o prefeito de Maceió na última terça.

Após as últimas duas eleições, Renan Filho e Rui Palmeira se distanciaram politicamente. O clima de disputa entre eles se acirrou consideravelmente, de apoio a adversários e disputa por base de apoio no campo do político do outro.

A Braskem, apontada pela Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), como responsável pelas rachaduras e afundamentos dos bairros Pinheiro, Mutange e Bebedouro, estava em negociação com o grupo holandês LyondellBasell, que queria comprar a mineradora. Para evitar que a empresa fosse vendida sem a planta de Alagoas, Renan Filho chegou a entrar na Justiça. Caso isso ocorresse, havia a possibilidade de o dinheiro da venda não estar disponível para possíveis indenizações.

A Braskem nega ser sua exploração de Sal-gema a causadora do problema.

NOVO MAPA

No último dia 7, a Prefeitura divulgou um novo mapa de risco para os bairros do Pinheiro, Mutange e Bebedouro. Elaborado por técnicos da Defesa Civil Nacional e da Defesa Civil Municipal, o mapa é dividido por setores de acordo com a gravidade da situação de afundamento.

Para o vereador Francisco Sales (PPL), presidente da Comissão Especial de Inquérito na Câmara Municipal sobre as rachaduras nos bairros, “o novo mapa só gerou mais pânico”. Na terça, o parlamentar reclamou da falta de planos de evacuação dos locais afetados.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH