Política

12 de junho de 2019 08:48

Casal e Arsal devem explicar aumento em tarifa

Em requerimento de Davi Maia, deputados estaduais convidaram representantes dos órgãos para falar critérios de novos valores

↑ Davi Maia citou que a tarifa subiu 66% entre anos de 2015 e 2019 (Foto: Ascom/ALE)

O deputado estadual Davi Maia (DEM) protocolou nesta terça-feira (11) na Assembleia Legislativa do Estado (ALE) um requerimento que convida os presidentes da Companhia de Saneamento (Casal) e da Agência Reguladora de Serviços Públicos (Arsal), Clécio Falcão e Ronaldo Medeiros, respectivamente, para que eles prestem esclarecimentos sobre os reajustes na tarifa de água e esgotamento sanitário dos últimos anos em Alagoas.

Antes de informar que havia protocolado o requerimento, o deputado do Democratas usou a tribuna da ALE para criticar o acréscimo da tarifa de água do estado. Segundo ele, foram 66% de aumento de 2015 até 2019. “Se a Casal mantiver essa média de aumentos, em 15 anos a conta de água vai subir 198% enquanto o salário mínimo subirá 99%. Aumento maior do que o gás de cozinha, que teve um aumento de 52% e a gasolina, de 55%”.

Defensor da privatização da Casal, Davi Maia citou, ainda, o anúncio da diminuição da tarifa da energia pela Equatorial, empresa que assumiu o controle da Companhia Energética de Alagoas (Ceal).

ESTUDOS

Em nota encaminhada à imprensa, a Casal explicou que o reajuste da tarifa ocorreu após estudos econômicos feitos pela própria companhia, que apontaram aumento de preço nos insumos usados, a exemplo da energia elétrica e dos produtos químicos para tratamento da água. A nota destaca ainda que esses insumos, em geral, têm reajuste acima da inflação do IPCA, que avalia os produtos para o consumidor final.

A Casal disse também que o estudo completo foi encaminhado e analisado pela Arsal, antes da agência reguladora autorizar o reajuste e pontuou que para quem consome até 10 metros cúbicos de água por mês, ou seja, 10 mil litros, quantidade suficiente para abastecer uma família de quatro pessoas, o reajuste vai significar menos de R$ 3 por mês. Vai passar dos atuais R$ 46,80 para R$ 49,71 (isso para quem não dispõe de rede coletora de esgoto). A Companhia finaliza a nota dizendo que numa mesma residência com quatro pessoas, a conta de energia em geral é bem maior que esse valor.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Victor Costa

Comentários

MAIS NO TH