Política

4 de abril de 2019 08:09

Assembleia Legislativa tende a manter veto do governo sobre Fundeb

Deputado Dudu Ronalsa reconhece articulação para que a base mantenha a decisão do governador sobre os recursos

↑ Em rede sociaal, Ronalsa pediu para quem está em sua lista de contatos ficarem atentos (Foto: Ascom/ALE)

O veto parcial ao Projeto de Lei de origem governamental, que dispõe sobre o rateio das sobras de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) com os servidores em efetivo exercício no magistério da educação básica deve retornar para a Assembleia Legislativa do Estado (ALE) nesta quinta-feira (4), mas só deve ir para votação na próxima terça-feira (9), se assim os deputados decidirem.

A discussão do veto estava programada para a sessão de terça-feira (2), mas acabou sendo adiada depois do pedido do deputado e líder do Progressistas na Casa de Tavares Bastos, Léo Loureiro. Com o pedido de adiamento, há uma movimentação dentro da Casa Legislativa para manter o veto do governador sobre os descontos previdenciários no rateio do Fundeb.

O deputado Davi Maia (DEM) que assumiu a postura de defender a derrubada do veto usou a tribuna, recentemente, para fazer um apelo para que os professores pressionassem os colegas parlamentares para que estes votassem junto com ele e deixou claro que é preciso 14 votos para conseguir êxito.

Porém, o governo conta agora com o deputado Silvio Camelo (PV) como seu líder dentro do Poder Legislativo. Ele vem articulando junto a outros parlamentares governistas para a manutenção do veto e de acordo com informações de bastidores estaria próximo de conseguir êxito.

A Tribuna apurou, no entanto, que apenas sete deputados já se manifestaram a favor da derrubada do veto governamental.

Relator do parecer favorável a derrubada do veto, o deputado Marcelo Beltrão, apesar de ser líder do MDB, partido do governador Renan Filho, deve votar conforme decidiu em seu parecer. As deputadas Jó Pereira (MDB) e Cibele Moura (PSDB) usaram os microfones do plenário para também declararem voto em favor dos professores. Mesma situação dos deputados Cabo Bebeto (PSL), Bruno Toledo (Pros) e Dudu Ronalsa (PSDB).

Portanto, desta forma, eles precisariam de mais sete votos para assim derrubar o veto do governador Renan Filho. Tarefa que não é fácil. O fato confirmado pelo deputado Dudu Ronalsa, em entrevista à Tribuna.

O parlamentar explicou que em conversas com membros do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (Sinteal) deixou claro que a situação não é tão interessante, mas que os deputados estavam tentando convencer os colegas pela derrubada do veto.

O veto de Renan Filho tem sido alvo de constantes debates na Assembleia Legislativa entre os deputados da base governistas e da oposição.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Victor Costa

Comentários

MAIS NO TH