Política

22 de março de 2019 08:04

Equatorial Energia ainda não recebeu convocação da ALE

Empresa diz que reajuste da tarifa de energia é definido pela Aneel

↑ Humberto Soares é aguardado por deputados para prestar esclarecimentos (Foto: Edilson Omena)

A direção da Equatorial Energia ainda não foi convocada pela Assembleia Legislativa do Estado (ALE) para prestar esclarecimentos sobre o anúncio de aumento da tarifa de energia elétrica e as medidas como um Plano de Demissão Voluntária (PDV) para os funcionários da antiga Eletrobras em Alagoas.

A informação é da assessoria de comunicação da empresa que assumiu nesta semana o controle da Ceal após sua privatização. A convocação foi protocolada pelo deputado Davi Maia durante a sessão de quarta-feira (20), na ALE.

À Tribuna, a Equatorial Energia, que tem como presidente, Humberto Soares, esclarece que o reajuste periódico da tarifa de energia elétrica é definido pelo órgão regulador do setor elétrico no país, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a partir das regras fixadas no contrato de concessão e nos regulamentos da Agência.

“O edital de leilão da Companhia Energética de Alagoas [Ceal] previu o reajuste da tarifa do Estado em até 45 dias após a posse do novo controlador, ocorrida na última segunda-feira (18)”.

A empresa explica ainda que os processos de reajuste ou revisão tarifária acontecem com o objetivo de manter o equilíbrio econômico-financeiro da concessão, e assim assegurar a qualidade e continuidade do fornecimento de energia elétrica à sociedade.

“Apenas cabe à Equatorial Energia Alagoas aplicar as tarifas definidas pela Aneel por meio de suas Resoluções”.

Já sobre as medidas de demissões voluntárias, a Equatorial informa que lançou, na última terça-feira (19), um PDV aos empregados efetivos interessados em se desligar e receber os direitos trabalhistas acrescido de vantagem financeira adicional.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Victor Costa

Comentários

MAIS NO TH