Política

19 de fevereiro de 2019 07:33

Bancada Federal passa a receber demandas

Principais pleitos apresentados a deputados e ao líder Marx Beltrão versam sobre o Pinheiro, turismo e Programa do Leite

↑ Marx Beltrão (Foto: Edilson Omena)

“Uma bancada pequena,  de posicionamento forte e grande no seu trabalho”. Foi assim que o deputado federal Marx Beltrão (PSD) definiu a bancada de Alagoas no Congresso Nacional.

Eleito líder, ele revelou a reportagem da Tribuna Independente que os parlamentares já estão se reunindo e recebendo as demandas dos diversos setores alagoanos.

“Nós reunimos com o setor do turismo, comércio e já temos reuniões com o setor do agronegócio, indústria, agricultura familiar. O objetivo é nos reunir com cada um dos setores produtivos do Estado”, afirmou.

O deputado garantiu que os poderes também estão na pautas de reuniões da bancada federal, a exemplo da Assembleia Legislativa Estadual, dos prefeitos alagoanos e o governo estadual.

“Defendemos o Estado de Alagoas em todas as frentes, deixando de lado as questões individuais partidárias e as políticas individuais. Nós vamos defender em Brasília as pautas que são interessantes para o Brasil, para o Nordeste e principalmente para Alagoas”, pontuou.

O líder da bancada explica que as emendas de bancada deverão ser construídas com base no que tem sido demando pelos setores e de forma conjunta, identificando o que é prioridade para Alagoas.

“É ouvindo que a gente consegue montar essas pautas e desta forma vamos fazer uma gestão muito proativa para Alagoas e a bancada vai ter destaque aqui no Estado”, comentou.

 

Primeiras demandas

 

De acordo com Marx, algumas das demandas já foram bastante discutidas facilitando assim a resolução dos pedidos, no entanto outras ainda estão em nível de discussão.

A CPLA (Cooperativa da Produção Leiteira de Alagoas) pediu ajuda na liberação dos recursos junto ao Ministério da Cidadania.

Em reunião com o movimento SOS Pinheiro, Marx adiantou que deve marcar uma audiência da bancada junto ao presidente da república ou com o Ministro da Casa Civil para tratar dos temas apresentados por eles.

Com o trade turístico, o pedido foi a modernização da lei geral do turismo e abertura de crédito de capital estrangeiro em 100% das cia áreas e a criação da nova Embratur.

“São demandas variadas com resoluções mais rápidas e outras um pouco mais prolongada”, falou.

No setor do comércio, o ponto principal foi a redução dos recursos do Sistema S em até 50%.

“Isso preocupa e não podemos ficar calados, assistindo isso acontecer”, disse.

 

Parlamentar critica burocracia por atrapalhar o empreendedorismo

 

Mesmo com uma bancada plural, com pensamentos distintos, Marx Beltrão assegurou que quando o tema é Alagoas os parlamentares estão unidos. “A gente vai defender Alagoas mesmo, ou seja, se a decisão do governo em qualquer medida for beneficiar Alagoas vamos estar junto a ele, do contrário, nós vamos ser contra o governo. Aqui a única pauta é Alagoas”, garantiu.

 

Em Brasília

 

O líder da bancada relacionou como prioridade a recuperação econômica do Brasil. “Todas as medidas da pauta econômica, nós temos que estudá-las, mudar o texto se necessário pensando no bem do cidadão, mas tentar aprovar com rapidez porque é isso que vai fazer o Brasil crescer e avançar”, analisou.

Para ele, o governo federal também precisa agilizar a pauta da reforma tributária porque hoje os impostos cobrados no Brasil são altos e não se enxerga o retorno destes impostos para a população.

“Se vai tratar da reforma da Previdência, tem que se tratar também da reforma tributária. Estes são os dois pontos fundamentais para o crescimento do país”, afirmou.

Seguindo a linha de raciocínio econômico, o líder da bancada alagoana fala da burocracia que existe no Brasil atrapalha o empreendedorismo e a chegada de empresas  estrangeiras que poderiam investir no país, gerando emprego e renda para os brasileiros.

E lembrou que na reunião do último Fórum Econômico Mundial, o Brasil ocupou o 137º lugar, num ranking de 140 países, em ambiente de negócio.

“As pautas são interligadas e precisam ser tratadas com urgência no Congresso Nacional”, alertou o parlamentar.

Fonte: Tribuna Independente / Luciana Martins

Comentários

MAIS NO TH