Política

4 de fevereiro de 2019 15:41

Entidades e pesquisadores pedem volta de chefe da APA Costa dos Corais

Iran Normande foi exonerado no dia 31 de janeiro e causou indignação de entidades

↑ Chefe da APA dos Corais, Iran Normande foi exonerado depois de multar secretário de Bolsonaro (Foto: Reprodução/Facebook)

Pesquisadores e estudantes da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) inseridos no Projeto Ecológico de Longa Duração (PELD) lamentam a exoneração do chefe da Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais, Iran Normande, do cargo que atuava em Alagoas e Pernambuco. Os estudantes de Comunicação Social, por exemplo, afirmam que estavam no projeto há quase dois anos, junto com outros profissionais. A equipe de estudos trabalhava na preservação APA, coordenada pelo analista ambiental Iran Normande.

Antes da manifestação pública dos pesquisadores da UFAL, o Instituto Yandê, que atua na região da Costa dos Corais, sobretudo na Rota Ecológica com cultura e meio ambiente, em conjunto com 61 instituições da sociedade civil organizada, setor turístico, setor pesqueiro e órgãos públicos atuantes na APA enviou uma carta aberta ao Ministro do Meio Ambiente, solicitando a renomeação de Iran Normande ao cargo de chefe do NGI Costa dos Corais, tendo em vista sua atuação ética, participativa e com responsabilidade para com a conservação ambiental e o desenvolvimento sustentável desta importante unidade de conservação.

A exoneração foi assinada pelo presidente do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), Adalberto Eberhard, através de determinação do Ministério do Meio Ambiente, que alegou serem normais essas mudanças, sobretudo, em fase da mudança de governo. Contudo, Normande ainda continua atuando como biólogo e analista ambiental atuando na APA, porque é servidor concursado.

Uma nota oficial foi publicada pelos integrantes do projeto Peld que afirma: ´´Os pesquisadores do Projeto Ecológico de Longa Duração (Peld) da Costa dos Corais e laboratórios parceiros receberam com incredulidade a notícia do exoneramento de Iran Campello Normande do cargo de Chefe Gestor da Área de Preservação Ambiental (APA) Costa dos Corais, do Núcleo de Gestão Integrada – Instituto Chico Mendes de Conservação Ambiental (ICMBio) Costa dos Corais´´.

Na quinta-feira, dia 31 de janeiro, o chefe da Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais, Iran Normande, foi exonerado do cargo que atuava em Alagoas e Pernambuco, através de uma publicação no Diário Oficial da União. O analista ambiental Andrei Cardoso assumiu o cargo interinamente. Normande ocupava o cargo há dois anos e nove meses. A exoneração foi assinada pelo presidente do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), Adalberto Eberhard.

A notícia que se espalhou rapidamente trouxe a tona um episódio de três anos atrás, quando o secretário indicado para ocupar a nova Secretaria de Ecoturismo do Ministério do Meio Ambiente, Gilson Machado Neto, tinha sido autuado pelo ICMBio por infringir regras de turismo sustentável em sua pousada, localizada em São Miguel dos Milagres. A pousada Villas Taturé, localizada na praia do Toque, está dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais, a maior unidade de conservação federal marinha costeira do país.

O futuro secretário foi multado em R$ 3.500 por descumprir as normas da área de proteção. Em um processo instaurado em 2016, ele foi autuado por desobedecer à notificação de retirar tendas e bangalôs da praia durante a noite. A retirada dos bangalôs consta no plano de manejo da APA, regra criada para proteger o local de desova de quelônios, a fauna e o habitat local, as aves migratórias do local e minimizar a poluição.

Notificado a respeito, Gilson Neto afirmou que as estruturas eram recolhidas à noite, entretanto a fiscalização do ICMBio constatou que isso não ocorria e aplicou o auto de infração. Como medida cautelar, foram destruídas sete tendas/bangalôs. Ele recorreu e o processo aguarda ser julgado.

Fonte: Tribuna Hoje / Cláudio Bulgareli

Comentários

MAIS NO TH