Política

22 de novembro de 2018 08:07

Luciano Barbosa defende retomada de obras federais

Governador em exercício assina carta endereçada ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, e menciona investimentos federais

↑ Luciano Barbosa também levantou preocupações nas áreas da segurança pública, saúde e educação (Foto: Agência Senado)

Os governadores eleitos e reeleitos dos nove estados do Nordeste estiveram reunidos nesta quarta-feira (21) em Brasília e produziram uma carta que foi enviada ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). A mensagem pontua seis temas centrais da região, além de um pedido para que o futuro chefe do Executivo Nacional os receba numa audiência.

Apesar de formarem o grupo de oposição ao novo governo, eles cumprimentam o presidente eleito e ressaltam que estão totalmente comprometidos com a luta por bons destinos para o Brasil e colocam-se à disposição para o diálogo e o entendimento nacional.

Na reunião, o governador em exercício de Alagoas, Luciano Barbosa (MDB), defendeu a retomada de obras federais para geração de empregos no Nordeste. Para ele, é fundamental para a geração de empregos, sobretudo as hídricas, que paralelamente contribuem para o enfrentamento da estiagem no Nordeste brasileiro.

“Essa pauta tem alguns poucos pontos, mas que são extremamente importantes. Um deles é a retomada das obras hídricas, que historicamente são uma reivindicação de todos os Estados do Nordeste por conta do que ocorre no semiárido, e não é diferente em Alagoas. É preciso, também, que as grandes obras, a exemplo das estradas, sejam retomadas para a geração de emprego”, explicou o governador.

Dentro dos seis temas levantados pelos governadores na carta, Luciano Barbosa destacou também a viabilização de fontes financeiras para o reequilíbrio do pacto federativo, uma vez que Estados e municípios sofreram drasticamente com a recessão econômica e a deterioração dos Fundos de Participação dos Estados (FPE) e dos Municípios (FPM).

Luciano ainda destacou a importância do debate acerca da prorrogação e ampliação da participação financeira da União no Fundeb e a celebração de um pacto nacional pela segurança pública, além também de demonstrar preocupação com o vazio assistencial que pode se produzir nos municípios, com a diminuição do contingente de profissionais do Programa Mais Médicos, devido a saída dos médicos cubanos do projeto.

Os governadores do Nordeste voltam a se reunir no dia 12 de dezembro para debater a segurança pública. Além de Luciano Barbosa, participaram da reunião em Brasília os governadores do Ceará, Camilo Santana (PT); de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB); de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD); do Piauí; Wellington Dias (PT); do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB); da Bahia, Rui Costa (PT); da Paraíba, João Azevedo (PSB) (eleito); e do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT) (eleita).

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Victor Costa, com Agência Alagoas

Comentários

MAIS NO TH