Política

19 de setembro de 2018 08:41

Dudu revela intimidação entre desembargadores

Sebastião Costa Filho teria ameaçado acionar Celyrio Adamastor no CNJ por decisão

↑ Deputado Dudu Hollanda desistiu da reeleição e explicou os motivos (Foto: Ascom/ALE)

Durante a explicação do motivo que o levou a desistir de sua candidatura à reeleição, Dudu Hollanda (PSD) diz, por meio de áudios vazados no WhatsApp, que o desembargador Sebastião Costa Filho ameaçou acionar o vice-presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), Celyrio Adamastor, no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) porque este lhe concedeu decisão favorável no processo por agressão a Paulo Corintho.

“Tive a orientação do doutor Fábio [Ferrário, advogado de defesa] de que depois da decisão do vice-presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, de anular meu processo e deixar-me, no momento, elegível, ele teve um problema de natureza interior quando o desembargador Sebastião Costa Filho ameaçou representá-lo no Conselho Nacional de Justiça] por ter tomado essa decisão. Ele sentiu-se acuado e não tive outra esfera a recorrer a não ser ao STJ [Superior Tribunal de Justiça]”, relata Dudu Hollanda no áudio que circulou ontem no aplicativo WhatsApp.

“No STJ, devido a decisões anteriores de Alagoas, eu perdi no STJ. E nada mais me cabia a não ser a substituição”, completa.

A reportagem da Tribuna contatou o advogado Fábio Ferrário e ele negou que tenha dito a Dudu Hollanda que o desembargador Sebastião Costa Filho tenha ameaçado acionar Celyrio Adamastor no CNJ.

“Desconheço o áudio e desconheço esse diálogo. Isso deve ter sido fruto de alguma emoção do deputado ou coisa dessa natureza. Alguma emoção momentânea, mas desconheço tanto o áudio quanto a interlocução”, afirma o advogado.

A Tribuna também procurou a Diretoria de Comunicação (Dicom) do TJ/AL para saber se um dos desembargadores – ou mesmo o Tribunal – iria se pronunciar sobre a fala do deputado Dudu Hollanda. Segundo a Dicom, não foi possível contatar nenhum dos magistrados citados pelo parlamentar. Em agosto deste ano, Celyrio Adamastor anulou o processo de agressão de Dudu Hollanda contra Paulo Corintho.

Quando eram vereadores de Maceió, em 2009, Dudu Hollanda arrancou, à mordida, um pedaço da orelha de Paulo Corintho após brigarem numa festa natalina no Espaço Pierre Chalita, em Jaraguá. À época, Dudu Hollanda presidia a Câmara Municipal e Paulo Corintho era o 2º secretário da Mesa Diretora.

Irmão tenta mandato na Assembleia Legislativa

 

Momentos antes de iniciar o julgamento da impugnação de seu registro de candidatura, o deputado estadual Dudu Hollanda (PSD) desistiu de tentar a reeleição em outubro, mas no lugar pôs o irmão Marcos Antonio (PSD) como seu substituto, cujo nome na urna será apenas Hollanda.

Por causa da troca, o processo sequer foi julgado pelo Tribunal Regional Eleitoral.

Em áudio, vazado nas redes sociais, o deputado explica as razões para a desistência e garante que Hollanda for eleito para a Assembleia Legislativa Estadual (ALE) será como se ele – Dudu – tivesse ganhado a eleição.

“Quero dar satisfação a todos vocês e explicar o motivo da minha renúncia e colocar meu irmão, meu primeiro irmão, o homem de minha confiança, como candidato a deputado estadual em meu lugar. É a certeza de que eu vou continuar trabalhando por Alagoas. O meu irmão, que vai ter o mesmo número que eu, e será representado pelo sobrenome da minha família, que tem muito serviço prestado ao estado de Alagoas, que é a família Hollanda. Vocês tenham a certeza que o deputado de vocês, o deputado de Alagoas, continuará sendo este guerreiro das Alagoas chamado Dudu Hollanda”, diz o parlamentar.

OPÇÃO

O advogado de defesa do deputado Dudu Hollanda,  Fábio Ferrário explica que a opção de colocar o irmão Marcos Antonio como candidato foi do próprio Dudu Hollanda, pois ainda havia recursos judiciais possíveis, mesmo o tempo para julgamento sendo curto.

 

Ouça o áudio de Dudu Hollanda em cita a intimidação entre desembargadores

 

 

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH