Política

26 de julho de 2018 08:16

‘Lula defende recriação de Ministério da Ciência e Tecnologia’

Na SBPC, petista foi representado pelo ex-ministro, Sérgio Resende, que apresentou suas propostas para a comunidade científica

↑ Sérgio Resende representou o ex-presidente Lula no evento que trata sobre ciência na Universidade (Foto: Edilson Omena)

Teve início na quarta-feira (25), na 70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, sessões especiais com os candidatos à Presidência da República. O primeiro a apresentar suas propostas para a promoção do desenvolvimento científico no país foi o ex-presidente Lula (PT). Por estar preso, foi representado por Rafael Resende, ex-ministro de Ciência e Tecnologia (C&T) em seus governos.

Com o auditório da Reitoria lotado, Rafael Resende expôs as ações de Lula em C&T quando governou o Brasil e apresentou quatro propostas caso seja eleito em outubro.

As quatro propostas foram: Recriação do Ministério de C&T, hoje vinculado ao das Comunicações; Projeto de Lei que proíbe o contingenciamento de fundos formados por receitas de contribuições para a Ciência e Tecnologia; Alocação do Fundo Setorial do Petróleo ao Fundo Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), como anteriormente; e elaborar, em conjunto com a comunidade científica e tecnológica, e implantar no primeiro ano de governo, o II Plano de Ação em Ciência, Tecnologia e Informática, com contínua ampliação de recursos.

“Para mim é um orgulho muito grande representar Lula num espaço como esse, mas faço isso com enorme tristeza porque queria que ele estivesse aqui. Não me conformo com o fato do melhor presidente que o Brasil já teve estar na prisão atualmente. Isso é resultado de uma situação surreal que o Brasil vive. A mídia servindo a interesses do sistema financeiro e a Justiça articulada com isso faz que a gente tenha uma situação extremamente injusta”, diz o ex-ministro à Tribuna.

Sérgio Resende: ‘Lula foi o primeiro a responder à SBPC e, de pronto, mandou representante’ (Foto: Edilson Omena)

Ele garantiu que Lula defende uma política de Estado para a área.

“É preciso política de Estado, com continuidade, em C&T. Temos exemplos históricos de como essa continuidade gera frutos. Um deles é a Embraer, que este governo golpista quer vender. Quando ela foi fundada ninguém acreditava que daria certo, mas hoje concorre com grandes empresas internacionais. Recentemente, seu presidente disse que a venda à Boeing daria ‘robustez’ à Embraer. Vai dar para a Boeing. Isso sim”, afirma.

HADDAD VICE?

Durante sua explanação, o ex-ministro deixou a entender que Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação, seria o vice de Lula. Ele disse: ‘Se Lula for eleito, junto ao Haddad, vai aprofundar investimentos”.

Questionado pela reportagem se Haddad seria o vice de Lula, ele respondeu: “Não posso responder isso. Muita gente tem perguntado, e nem Lula respondeu a isso. Mas sabemos que a probabilidade maior é que seja ou Fernando Haddad ou Jaques Wagner [ex-governador da Bahia]. É o natural porque são os políticos do PT mais próximos dele e que têm experiência para isso. Então, estamos acreditando que será um dos dois. E quem vier vai ser bom. Não tenha dúvida”.

CRITÉRIOS

Segundo Ildeu de Castro Moreira, presidente da SBPC, os critérios para a participação dos candidatos – ou pré – na Reunião da entidade obedeceram à posição numa pesquisa de intenção de votos do Datafolha de junho. Devido ao tempo limitado, os três melhores colocados foram convidados e,  na medida em que, foram desistindo ou não dando resposta, os colocados subsequentes foram chamados.

“Lula foi o primeiro a responder e de pronto mandou representante”, comenta Sérgio Resende à Tribuna.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH