Política

18 de julho de 2018 08:22

Pré-candidato ao governo facilita a inclusão de cegos no debate político

De forma pioneira em Alagoas, Basile Christopoulos iniciou a utilização da hastag #PraCegoVer em suas postagens nas redes sociais

↑ Assessoria

Construir e implantar políticas públicas e comunitárias que respondam a inclusão de minorias é uma das pautas levantadas pelo pré-candidato ao governo de Alagoas pelo PSOL, Basile Christopoulos.  Deste modo, de forma inicial e pioneira entre os políticos do estado, foi lançado em suas redes sociais no último domingo (15) a iniciativa #PraCegoVer para facilitar a compreensão do conteúdo pelas pessoas que possuem deficiência visual.

Em suas postagens estão sendo inseridas a hastag #PraCegoVer onde é descrito o que se passa na imagem publicada, se é foto, vídeo, desenho, charge etc. Depois, o cenário e todos os componentes que compõe a publicação são relatados detalhadamente, seguindo a sequência da escrita e leitura ocidental, isto é, da esquerda para direita e de cima para baixo.

“Estamos aqui para discutir formas de garantir os direitos de inclusão das pessoas com deficiência, porque elas, muitas vezes, não são atingidas pelas maneiras convencionais de difundir informações. Precisamos lutar pela diminuição da exclusão social desse grupo, o aumento da participação política e o crescimento de sua autoestima, autonomia e independência como cidadão”, salientou Basile.

O Projeto #PraCegoVer foi criado em 2012 pela professora baiana Patrícia Braille que tem o objetivo de disseminar a cultura da acessibilidade nas redes sociais. Atualmente, grandes marcas e instituições utilizam a # para a descrição, tais como a Avon, Coca-Cola, Postos Petrobrás e Ministério Público Federal.

O que diz a Constituição

O Brasil possui legislação específica sobre acessibilidade. É o Decreto-lei nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004, também conhecido como Lei de Acessibilidade. O documento estipula prazos e regulamenta o atendimento às necessidades específicas de pessoas com deficiência, no que cabe a projetos de natureza arquitetônica e urbanística, de comunicação e informação, de transporte coletivo, bem como a execução de qualquer tipo de obra com destinação pública ou coletiva.

Enquanto demais estados do Brasil já avançam nestes quesitos, Alagoas ainda não possui uma acessibilidade necessária para a inclusão social dos cidadãos cegos.  Algumas das maiores reclamações, é que as escolas estaduais não possuem uma Sala de Recursos para deficientes, espaço esse que facilitaria um melhor aprendizado com o auxílio de meios não convencionais.

“Políticas isoladas não são suficientes para a realização da inclusão necessária. É preciso que os professores estejam capacitados para receber os alunos com deficiência visual, que o sistema de informações que circulam no estado englobem à todos, não apenas uma parcela da população”, ressaltou o pré-candidato.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH