Política

18 de julho de 2018 07:43

Benedito de Lira e Maurício Quintella se afastam por campanha

Parlamentares se licenciam dos mandatos para voltar ao convívio com as bases políticas

↑ Benedito de Lira busca a reeleição numa disputa bastante acirrada (Foto: Sandro Lima)

A disputa pelas duas vagas ao Senado este  ano tende a ser bastante acirrada pelos nomes que estão postos tanto pela base governista quanto da oposição. Para se dedicar ao fortalecimento de suas respectivas pré-campanhas, Benedito de Lira, senador pelo PP, e Maurício Quintella, deputado federal pelo PR, se licenciaram de seus mandatos por 121 dias.

Quintella se afastou do cargo no início de junho. Ele é pré-candidato ao Senado pela chapa do governador Renan Filho (MDB). Em seu lugar, assume mais uma vez, o suplente Nivaldo Albuquerque (PTB), filho do deputado estadual Antonio Albuquerque (PTB).

No lugar de Benedito de Lira, assume o suplente Givago Tenório (PSDB) pelo período de quatro meses. À Tribuna Independente, Maurício Quintella explicou que decidiu se licenciar para poder se reaproximar de suas bases eleitorais, já que no período em que ele esteve à frente Ministério dos Transportes seu comparecimento não era constante. “Será uma disputa animada e preciso andar muito”, disse o parlamentar.

“Sempre trabalhei incansavelmente para trazer melhorias para Alagoas e fazendo as duas coisas, eu não estaria me dedicando como deveria. Afasto-me para que o suplente possa executar essa missão de se dedicar integralmente a trazer melhorias para o nosso estado. Agora, preciso mostrar aos alagoanos tudo que realizei durante o meu mandato e todo o meu trabalho para cuidar dos que mais precisam”, informou.

Apontados também como fortes pré-candidatos ao Senado e com mandatos, o deputado estadual Rodrigo Cunha (PSDB) e o senador Renan Calheiros (MDB) foram procurados pela reportagem da Tribuna para se manifestarem se existe interesse em se afastar dos respetivos mandatos para focar na campanha. No entanto, até o fechamento desta edição, não conseguimos resposta.

VIABILIDADE

A cientista política Luciana Santana explica que a justificativa de afastamento de Maurício Quintella e Benedito de Lira para se concentrar nas campanhas é compreensível.

“Além disso, o curto tempo de campanha [45 dias] é outro complicador. Para conseguir ter um bom desempenho junto às bases eleitorais será necessário se dedicar muito mais, ter presença constante e negociar com prefeitos e lideranças políticas diversas”.

Para Quintella, é tudo ou ficar sem mandato

 

Os afastamentos de Benedito de Lira de seu mandato no Senado e Maurício Quintella da Câmara dos Deputados também são analisados pelo cientista político Ranulfo Paranhos.

À reportagem da Tribuna Independente, Paranhos fez um destaque sobre a candidatura de Quintella ao Senado após 16 anos como deputado federal.

Maurício Quintella é o segundo candidato ao Senado na chapa de Renan Filho e Renan Calheiros (Foto: Sandro Lima/arquivo)

Vale lembrar que Maurício Quintella foi escolhido pelo governador Renan Filho (MDB) e pelo senador Renan Calheiros (MDB) para ser o segundo senador na chapa governista deste ano, não cedendo apoio à pré-candidatura do deputado federal Marx Beltrão (PSD) ao Senado.

De acordo com Ranulfo Paranhos, as disputas vão se dar nas proporcionais e apenas para o Senado, já que para ele se desenha uma reeleição tranquila para o governador Renan Filho. Paranhos explica ainda que no caso de Maurício Quintella, o então deputado deverá apostar tudo nesta.

“A campanha do Maurício [Quintella] é uma estratégia que ele já vem traçando há algum tempo. Ele está apostando tudo porque sabe que perdendo a eleição, ele perde mandato político depois de 16 anos, se não me engano, como deputado federal. Para o Senado vai ser muito cacique para pouca vaga”, avalia o cientista político.

Pesa a favor de Maurício Quintella o fato de ter sido ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil nos últimos dois anos, além de o fato de estar agora ao lado do governador Renan Filho e Renan Calheiros, considerados favoritos nas eleições deste ano.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Victor Costa

Comentários

MAIS NO TH