Política

11 de julho de 2018 08:10

Kelmann Vieira apoia reeleição de Renan Filho

Tucano, presidente da Câmara Municipal de Maceió esclarece celeuma política e cita com quem vai marchar nestas eleições

↑ Kelmann Vieira critica a forma como o PP minou seu nome para a disputa do governo estadual (Foto: Sandro Lima)

Colocado como o nome que iria para a disputa o Governo de Alagoas indicado pelo presidente do PSDB, Kelmann Vieira, também do PSDB e presidente da Câmara de Vereadores de Maceió, decidiu mostrar de que lado está na campanha eleitoral deste ano. Vieira respondeu ao questionamento da Tribuna Independente após a circulação de um print vazado em grupos de WhatsApp.

No print, o vereador demonstra apoio ao pré-candidato ao Senado pela chapa do governador Renan Filho (MDB), o deputado federal Maurício Quintela (PR) e diz ainda que não votaria “nem amarrado” no senador Benedito de Lira (PP). A repulsa ocorre pelo fato de o senador do PP ter rejeitado o nome de Kelmann na disputa com Renan Filho (MDB).

Kelmann Vieira confirmou a veracidade do que foi veiculado em um determinado grupo de WhatsApp, porém a confusão criada em relação ao fato de que ele não votaria mais em Thomaz Nonô (DEM) para deputado federal e apoiaria a reeleição de Marx Beltrão à Câmara Federal foi de responsabilidade do vice-prefeito de Maceió, Marcelo Palmeira (PP).

“Por meio desse print, o vice-prefeito Marcelo Palmeira tenta fazer com que alguns jornalistas criem fatos e confusões com meu nome e de Nonô. Eu voto no Nonô e não voto no Biu [Benedito de Lira]. Voto no Renan pai [senador Renan Calheiros], no Renan Filho [governador] e Maurício Quintella [ao Senado]. E garanto que trabalharei contra o senador Benedito de Lira. Essa é a minha resposta”, disse Kelmann à Tribuna Independente.

Kelmann esclareceu ainda que toda essa celeuma política foi gerada após Marcelo Palmeira ter pedido ao senador Benedito de Lira para que não aceitasse o seu nome como candidato pelo grupo de oposição ao governo.

O vereador acrescenta que não vai marchar ao lado de pessoas que ele não confia e que Marcelo Palmeira criou toda essa situação por não ter aceitado as três derrotas impostas pelo vereador na Câmara de Maceió. Vieira se refere às eleições em que o vereador Chico Filho, do PP, tentou ser candidato a presidente da Mesa Diretora.

“Ele [Marcelo Palmeira] quando Rui anunciou que eu seria o candidato, no dia seguinte pediu para o senador Benedito e Lira ir ao encontro do prefeito Rui e não aceitar. Então, um grupo desse eu não tenho como fazer parte. Eu reúno condições morais e políticas para ser candidato a qualquer coisa. Se não fosse assim, o Rui não teria me escolhido. Marcelo já tentou por três vezes me derrotar na Câmara e perdeu as três. Por isso também que ele não gosta de mim. Ele segue a vida dele e eu sigo a minha, mas em lados opostos”, ressalta Kelmann Vieira ao finalizar a entrevista sobre os problemas na escolha da oposição ao governo.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Victor costa

Comentários

MAIS NO TH