Política

12 de abril de 2018 08:06

Policiais Militares cobram reajuste e ameaçam aquartelar

Caso negociações não avancem, PMs prometem bloquear o Porto de Maceió

↑ Militares protestaram em frente ao governo e buscam reajustes salarias para não promover aquartelamento (Foto: Assessoria)

A ordem de geral é a seguinte: delibera a reivindicação de realinhamento salarial ou os Policiais e Bombeiros Militares ligados a associações em Alagoas irão aquartelar. As categorias estão reunidas desde esta quarta-feira (11) e criaram um cronograma de ações para pressionar o Governo do Estado a recebê-los.

O presidente da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas (Assomal), tenente-coronel, José Cláudio do Nascimento, explicou a situação para a reportagem da Tribuna Independente. “O nosso posicionamento é uma medida ao extremo e por isso nós estamos criando um cronograma de atividades, colocando essa para sexta-feira, a partir das 19h, porque até lá o governador terá tempo para chamar as associações e criar uma agenda de negociação. É isso que nós esperamos dele”.

A primeira medida tomada pelas entidades foi a parada da Força Tarefa a partir da 00h desta quinta-feira (12). Em seguida, irão acampar em frente à Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas (Sefaz). Já na sexta-feira (13), a medida inicial será a interdição do Porto de Maceió e a retirada da Brigada de Incêndio do Bombeiro Militar do Aeroporto Zumbi dos Palmares, além da autuação dos agentes de proximidade (civis), do Programa Ronda no Bairro, por crime de usurpação de função, exclusiva, da Polícia Militar. Ao anoitecer realizam o aquartelamento da tropa por 24h. No sábado (14), não irão realizar o policiamento no jogo da Série B, entre CSA e Goiás.

SEPLAG

A Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag) emitiu uma nota sobre o assunto. Nela explica que “tem procurado resolver todos os pleitos das associações militares de Alagoas, respeitando as possibilidades financeiras do Estado”.

Em outro trecho ressalta que a Mesa de Negociação continua sendo o canal de diálogo com os servidores públicos estaduais e que o Governo está aberto para receber e conversar com todas as partes que trabalham pelo bom andamento da máquina pública.

A nota diz ainda que em relação às reuniões com a categoria, “é necessário pontuar que já fizemos alguns encontros e que, neste momento, toda a negociação está sendo acompanhada de perto pelo governador Renan Filho”.

Fonte: Tribuna Independenteq / Carlos Victor Costa

Comentários

MAIS NO TH