Política

7 de abril de 2018 10:01

Militantes defendem liberdade do ex-presidente Lula

Partido dos Trabalhadores ainda realizou uma plenária na sede dos Urbanitários

↑ Militantes marcham em defesa do ex-presidente Lula e defendem que ele permaneça em liberdade (Foto: Sandro Lima)

Uma série de atos vem acontecendo em todo o país desde a sexta-feira (6) contra a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em Maceió, membros do Partido dos Trabalhadores, de movimentos sociais, como Povo Sem Medo, Sem terra e sindicatos realizaram uma manifestação que teve início na Praça Centenário.

Ao se deslocarem até o Centro de Maceió, alguns integrantes colocaram fogo em pneus e interditaram os dois sentidos da Ladeira Geraldo Mello. Em meio às manifestações, centenas de pessoas estavam com faixas de apoio a Lula e repúdio ao decreto de prisão expedido pelo juiz Sérgio Moro. Ainda na concentração, alguns motoristas que passavam pelo local buzinaram dando incentivo aos militantes, como também alguns entoaram gritos contra o protesto.

Em entrevista à reportagem da Tribuna Independente, o presidente do PT em Alagoas, Ricardo Barbosa, disse que a tática é proteger Lula em São Bernardo do Campo, onde o ex-presidente está em companhia de militantes no Sindicato dos Metalúrgicos.

“Nós queremos que lá seja o local da proteção ao Lula para que não haja nenhuma agressão a sua integridade física. Não é um ato do PT. É um ato da Frente Brasil Popular, Povo Sem Medo, juntamente às centrais sindicais e partidos políticos diversos que apoiam essa causa. Não estou dizendo que vai haver violência, mas sim reação da sociedade contra essa decisão arbitrária de prender o Lula”.

Ricardo ressalta ainda que as manifestações irão fazer o Poder Judiciário deixar Lula livre, para que assim não haja qualquer tipo de confronto.

Sobre a candidatura de Lula, o presidente do PT em Alagoas, disse que será mantida. E que apenas duas hipóteses podem tirar ele da disputa: Uma se ele não quiser ou a outra se ele estiver morto.

“Lula mesmo preso é candidato. Ele registrará a candidatura dia 15 de agosto, será impugnada é obvio, pois estão forjando tudo isso para tirar ele da disputa política. Mas vamos seguir mantendo a candidatura dele e isso só será discutido em setembro, ou seja, lá quando for”, relatou o presidente da legenda petista em Alagoas.

Partidos de esquerda lamentam decisão

Dirigente do PT em Alagoas, Lenilda Lima, disse à Tribuna Independente que um dos fatores pela luta de ter Lula fora da prisão é a recuperação da democracia.

“A ordem é Lula livre. Que esse golpe que está em curso e que a população não está aceitando tenha uma finalização. Lula tem todo o direito de ser candidato e estão rasgando a nossa Constituição. A presunção de direito não existe mais”, argumentou a petista.

O secretário de Finanças e Assuntos Contábeis do Sindprev, Cícero Lourenço, presente no ato, ressaltou que a forma como o Judiciário persegue o ex-presidente Lula é uma afronta ao estado democrático.

“Isso destrói a expectativa de um Brasil melhor, porque prender Lula significa prender um projeto que fez um país dá certo. Nós não aceitamos a prisão do Lula e os movimentos não vão deixar ele se entregar. Tivemos mais de seis rodovias paradas. E vamos continuar com atos de resistência, pois não permitiremos esse retrocesso”.

PARTIDOS

Antes das manifestações, a reportagem da Tribuna entrevistou o presidente do PSOL estadual, Gustavo Pessoa. Ele criticou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e salientou que a condenação de Lula é injusta.

“Construímos uma frente com outros agrupamentos do campo progressista em defesa da liberdade de Lula e da candidatura dele. A condenação do Lula é sem provas. Enquanto outros permanecem soltos, com provas robustas, malas de dinheiro, e gravações. Todo esse processo contra o Lula é político e visava retirá-lo da disputa. Nesse sentido o PSOL se juntou ao PCdoB e ao PT”.

Num breve contato com a reportagem da Tribuna, o deputado federal Ronaldo Lessa, ex-presidente do PDT em Alagoas, disse que a prisão de Lula é lamentável. Lessa foi contrário ao impeachment da presidente Dilma Rousseff quando o processo foi votado na Câmara dos Deputados.

Em nota divulgada ontem (6), o PT de Alagoas ressalta que “os golpistas pariram um mártir”, comparando Lula a Nelson Mandela, líder africano preso por lutar pelos direitos do povo daquele país.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Victor Costa

Comentários