Política

7 de março de 2018 07:58

Maioria da Câmara Municipal de Maceió não deve disputar eleição

Dos 21 vereadores, seis têm parentesco com deputados estaduais ou com candidatos já confirmados à reeleição

↑ Câmara de Vereadores de Maceió não deve ter muitos candidatos postulantes aos cargos de deputado estadual e federal em 2018 (Foto: Sandro Lima)

A maioria dos parlamentares da Câmara Municipal de Maceió (CMM) não deverá se candidatar no pleito deste ano. Dos 21 vereadores, seis possuem parentesco com deputados estaduais ou candidatos já confirmados. Entre os demais, poucos são os que devem tentar alçar voos mais altos na política em outubro. Contudo, esse quadro pode mudar nos próximos meses.

Kelmann Vieira (PSDB) – presidente da CMM – é casado com Flávia Cavalcante (MDB), ex-deputada estadual e com candidatura já confirmada para tentar retornar à ALE; Silvânia Barbosa (PRB) é esposa do deputado estadual Marcos Barbosa (PRB); Davi Davino (PP) é pai do deputado estadual Davi Davino Filho (MDB); Galba Netto (MDB) é filho de Galba Novaes (MDB), também parlamentar na ALE; o vereador Chico Filho (PP) e o deputado estadual Francisco Holanda são filho e pai; e Antonio Hollanda (MDB) é pai de Dudu Hollanda (PSD). Esses não serão candidatos neste ano porque irão apoiar os parentes que tentam reeleição ou regresso à Assembleia Legislativa Estadual.

Entre os demais, a assessoria da vereadora Fátima Santiago (PP) confirmou que ela não se candidatará em outubro, assim como a vereadora Aparecida Augusta (DEM), também segundo sua assessoria. Silvânio Barbosa (MDB) confirmou à assessoria de comunicação da CMM que também está fora do pleito deste ano.

CANDIDATOS

Se a maioria da Casa não deverá disputar a eleição deste ano, boa parte dos que se preparam para “correr trecho” tentam fazer discurso de possibilidade em aberto, apesar de os corredores da Casa de Mário Guimarães já darem como certa as respectivas candidaturas.

Lobão (PR), o mais votado entre os 21 vereadores, deve ser candidato, mas estaria no aguardo de confirmação do ministro Maurício Quintella (PR).

Tereza Nelma (PSDB) deve disputar uma vaga na Câmara dos Deputados. Eleita com 14.991 votos ela tentou uma cadeira na ALE em 2010 e obteve 13.307 votos.

Os demais vereadores candidatos a deputado são Francisco Sales (PPL); Sílvio Camelo (PV); Samyr Malta (PSDC); e Dudu Ronalsa (PSDB).

Segundo Silvio Camelo essa decisão ainda será tomada. “Ainda estou avaliando. Estamos no período de filiação e procurando nos municípios pessoas que têm interesse em participar e só depois desse prazo é que definiremos o projeto para 2018. Agora, uma coisa é certa os partidos precisam cumprir a legislação e a cláusula de barreira é muito importante para que o partido [PV] tenha para deputado federal 30 mil votos em Alagoas. Por isso, num primeiro momento estamos trabalhando para a Câmara dos Deputados”.

Francisco Sales adotou o mesmo tom de Sílvio Camelo, de que sua candidatura ainda está em discussão.

“Estou deixando meu nome à vontade para o partido e escutando as bases. Não tenho nenhuma obrigação, mas se eu for, irei disputar uma vaga na ALE”, diz o vereador garantindo que uma campanha não afetará sua atuação na CMM “Se for candidato, a campanha não vai atrapalhar minha atuação aqui na CMM. Sou um dos que tem mais presença aqui, 95%, 96% de presença. Sigo na mesma pegada”.

EDUARDO CANUTO

O vereador Eduardo Canuto, líder de Rui Palmeira – ambos do PSDB – na Câmara deve disputar uma vaga na ALE. Contudo, ele não confirma desde já sua candidatura. “Maceió tem pouca representação na ALE, mas devo me reunir nesta semana com o prefeito para decidir se serei ou não candidato. Mas acho que é possível essa candidatura. Também é preciso ver o coeficiente eleitoral que o PSDB pode atingir e deverei ser um soldado na defesa da candidatura do Rui [Governo do Estado]”.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH