Política

6 de março de 2018 11:44

Alagoas: ato unificado marca o Dia Internacional da Mulher

Objetivo é denunciar os problemas que mais atingem as mulheres no estado, como o feminicídio e as ondas de estupros

↑ Movimento feminista realiza ato no próximo dia 8 de março em Maceió (Foto: Marcha Mundial das Mulheres de Alagoas/Facebook)

Mais de 30 entidades que lutam pelos direitos das mulheres e a igualdade de gênero, do campo e da cidade, em toda a sua diversidade (feministas, sindicais, políticas, negras, trans e movimentos sociais, entre outras), estão unidas em torno de um conjunto de atividades comemorativas ao 8 de Março –  Dia Internacional da Mulher, este ano em Alagoas. O ponto alto será o ato unificado que acontecerá na próxima quinta-feira (08), com a concentração iniciando às 8hs, na Praça do Centenário (Farol), em Maceió. O objetivo é denunciar às autoridades e à sociedade em geral, os problemas que mais atingem as mulheres em Alagoas, como o feminicídio, que tem crescido ano após ano, e as ondas de estupros, que aterrorizam a todas.

Um documento também foi encaminhado ao governador Renan Filho (MDB) solicitando que o mesmo receba uma comissão de mulheres representativas das entidades envolvidas na construção do 8 de Março, para tratar da pauta unificada de reivindicações das mulheres alagoanas.  Para a representante da Marcha Mundial de Mulheres, Lenilda Lima, é preciso que o poder público compreenda a gravidade da situação e ouça as mulheres na sua diversidade, desenvolvendo ações efetivas no sentido de solucionar o problema.

A militante lembrou que mal começou o ano e Alagoas já foi marcada por mais dois atos de violência contra as mulheres: no dia 7 de fevereiro, quando duas estudantes do IFAL (Campus Satuba) foram estupradas por um homem que lhes deu carona na volta para suas casas em Boca da Mata. E no último dia 2, quando a professora Cenira Angélica Ventura da silva, 39 anos foi assassinada com cerca de 20 perfurações feitas com faca-peixeira, por seu companheiro, no município de Viçosa. “Temos que denunciar esses crimes e cobrar providências. Por isso, conclamamos todas as mulheres alagoanas para participarem desse ato”, ressaltou Lenilda.

Na pauta de reivindicações que foi enviada ao governador junto com a solicitação de audiência, inclui entre as prioridades elencadas a ampliação das delegacias da mulher, com a criação de pelo menos uma em cada regional, funcionando 24hs, inclusive nos feriados e fins de semana, além de equipes capacitadas para atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica.

As mulheres também reivindicam a efetivação da Patrulha Maria da Penha, para o cumprimento da Lei Maria da Penha em Alagoas, e o empenho do governador junto aos parlamentares, para derrotar o Projeto de Reforma da Previdência no congresso nacional.  Na lista, consta ainda, a efetivação da Política Integral de Saúde da População Negra, tendo em vista que estudos apontam o racismo e a discriminação como determinantes associados ao adoecimento e à morte precoce de mulheres negras.

Das prioridades também constam realização de mutirões de documentação para mulheres rurais e urbanas; ampliação da rede de atendimento às mulheres vítimas da violência, com implantação de casas de abrigo casas de passagem, centros de referência de atendimento às mulheres e serviços de saúde especializados para o atendimento às mulheres vítimas de violência.

Além do ato unificado no dia 8, durante todo o mês de março serão realizadas atividades em defesa dos direitos das mulheres, defesa da democracia e da soberania, e contra o projeto de reforma da Previdência pelas entidades que fazem parte do movimento. Entre as ações já programadas estão: Inauguração do Centro de Defesa dos Direitos da Mulher, 16hs (02\03); Ocupação lagunar, às 15h (04 de março); Movimento do campo (06 e 07\03); Slam das Minas no Sesc-Centro, ás 17hs (08\03); Experimento de performance, Flôr – é – ser (19\03); O grito das Dandaras – Espaço Cultural Linda Mascarenhas (23\03); Seminário dos Direitos Humanos da Mulher,na Ufal (27\03).

Participam da organização do Dia Internacional da Mulher as seguintes entidades: Marcha Mundial das Mulheres, Movimento Feminista Olga Benário, Coletivo Feminista Ana Montenegro, Instituto Feminista Jarede Viana,  MST, CPT, Via do Trabalho, FETAG, Sindicato dos Urbanitários, Comissão de Mulheres do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas, Grupo Flôr do Manacá, SINTTRO, Ateliê Ambrosina, Gabinete da Vereadora Teresa Nelma, CUT, Sindvigilantes, SINTEAL, AMT, PDT, Setorial Gênero PSOL, STTR – Arapiraca, STTR-São Sebastião, STTR- Coité do Noia, STTR-Belo Monte, SINDPOL, Escritório da Mulher, ADois Cia de dança e performance, MMTRP\AL, STRAAF Pão de Açúcar, STTR- Mata Grande, SINDPREV, Rede de Mulheres Negras de Alagoas, Levante Popular da Juventude, Frida Kahlo, Coletivo Antiproibicionista.

 

SERVIÇO:

O quê: Ato comemorativo ao 08 de Março – Dia Internacional da Mulher

Quando: Dia 08 de Março de 2018

Onde: Concentração na Praça do Centenário (Farol), às 8hs.

 

Comissão de Comunicação

Contato: Valdice Gomes (82.99999-1301), Emanuelle Vanderlei (82.98709-0935)

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH