Política

19 de Fevereiro de 2018 09:22

Sindicalistas mobilizam para ato contra a reforma da Previdência

Ação foi realizada no terminal de ônibus do Benedito Bentes; manifestação ocorre na tarde desta segunda (19), no Centro de Maceió

↑ Sindicalistas mobilizam durante mobilização no terminal de ônibus do Benedito Bentes na manha desta segunda-feira (19) (Foto: Divulgação)

Dezenas de sindicalistas realizaram um ato, na manhã desta segunda-feira (19) no terminal de ônibus do Benedito Bentes, parte alta de Maceió. O objetivo é mobilizar para a manifestação contra a reforma da Previdência que será realizada às 16h no Calçadão do Comercio, no Centro da capital alagoana. Em todo o país, manifestações contra a medida serão realizadas nesta segunda.

Participam da mobilização sindicatos e movimentos sociais, do campo e da cidade. Segundo eles, a reforma da Previdência retira direitos e está envolta a um “discurso falso” de que a Previdência Social sofre um “rombo” em suas contas.

Segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (Sinteal), Consuelo Correia, panfletos sobre as consequências da reforma da Previdência foram distribuídos. “Também elaboramos material para entregar a população sobre os prejuízos da reforma; denunciar os parlamentares que são favoráveis à aprovação da reforma”.

Com a intervenção militar no Rio de Janeiro fica proibido alterar a Constituição do país. Contudo, o presidente Michel Temer (MDB) já anunciou que se conseguir votos suficientes para aprovar a reforma no Congresso, a intervenção será suspensa para haver votação.

Em alguns estados, bancos e motoristas de ônibus cruzam os braços nesta segunda. “Mas, em Alagoas, essas medidas não estão previstas para ocorrer”, informa a assessoria de comunicação do Sinteal.

ESTRADAS

As rodovias que dão acesso a Teotônio Vilela (BR 101) e a União dos Palmares (BR 104) foram bloqueadas na manhã desta segunda-feira por integrantes de movimentos de luta pela terra em protesto contra a reforma da Previdência. Notadamente o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e o Movimento via do Trabalho (MVT).

Segundo a assessoria de comunicação da Polícia rodoviária Federal (PRF), não há previsão para a liberação das vias, bloqueadas no km 179 (BR 101) e no km 38 (BR 104).

Ainda de acordo com a PRF, em Teotonio Vilela, os manifestantes estão liberando a pista a cada vinte minutos.

 

ATUALIZADO ÀS 10:42

Fonte: Tribuna Hoje / Redação

Comentários

MAIS NO TH