Política

12 de julho de 2017 11:37

Atuação da CEI faz preço do combustível baixar em Maceió

Comissão instalada em abril já ouviu os donos de postos da Capital e, em agosto, será a vez das distribuidoras

A redução de quase R$ 0,50 no preço do litro do combustível cobrado nas últimas semanas nos postos de Maceió é fruto de um trabalho sério e isento da Comissão Especial de Inquérito (CEI), que foi instalada em abril para apurar denúncias de suposto cartel do setor na comercialização do produto na capital. A avaliação foi feita pelo presidente da CEI, vereador José Márcio Filho (PSDB). O parlamentar lembrou que antes da comissão ser aprovada por 18 dos 21 vereadores na Casa de Mário Guimarães, a gasolina comum, por exemplo, chegou a R$ 3.90 e até R$ 4,00.

“Não posso esconder minha felicidade. Mas esse é um resultado que não posso creditar a mim como presidente da CEI. Sem o apoio dos colegas vereadores, do presidente Kelmann Vieira, a relatoria isenta e comprometida do vereador Silvânio Barbosa (PMDB) e apoio de órgãos como o Procon, Ministério Púbico e OAB, o consumidor poderia estar pagando por uma das gasolinas mais caras do Brasil. Os meios de comunicação também entenderam que a CEI foi criada para contribuir e não para prejudicar o setor e, dessa forma, fez ampla divulgação de nosso trabalho”, declarou José Márcio Filho, lembrando que antes da instalação da CEI os órgãos responsáveis no estado não fiscalizavam o preço do combustível.

O presidente da CEI lembra que o trabalho da comissão segue e que o objetivo agora é trabalhar, ao lado do setor, órgãos do governo do estado, distribuidoras e todos os envolvidos no sentido de que o preço do combustível em Maceió seja mantido em um patamar de redução como ocorre atualmente.

“Os trabalhos continuam. Assim que retornarmos do recesso, no começo de agosto, vamos ouvir os representantes das distribuidoras em Alagoas. Agora que conseguimos, também por conta da redução no preço do combustível por parte da Petrobras aos revendedores, diminuir o valor nas bombas, temos que nos unir para que Maceió não volte a ter uma das gasolinas mais caras do Brasil como vinha ocorrendo. Além de ouvirmos as distribuidoras, também pretendemos fazer audiências públicas para, por exemplo, buscar entendimento com o governo do estado em uma possível redução do preço do ICMS, que pode ajudar a deixarmos a gasolina ainda mais barata”, revelou o parlamentar.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH