Política

27 de junho de 2017 07:56

Kelmann Vieira será reeleito presidente da Câmara de Maceió na quarta-feira

Sessão que garante comando da Câmara de Maceió para o biênio 2019/2020 deve ser em chapa única

↑ Kelmann Vieira também reclamou da conduta de Teotonio Vilela (Foto: Sandro Lima/arquivo)

A Câmara Municipal de Maceió (CMM) vai reeleger sua mesa diretora – para o biênio 2019/2020 – na próxima quarta-feira (28). Com mais de um ano de antecedência, a direção da Casa de Mário Guimarães deve ser reconduzida na íntegra, sob o comando do atual presidente Kelmann Vieira (PSDB).

A reeleição para os mesmos cargos da mesa diretora se tornou possível com a aprovação do novo regimento interno da CMM. Antes nem mesmo o rodízio entre os membros da mesa era permitido.

Segundo explicou o vereador Zé Márcio Filho (PSDB), 2º secretário da CMM, qualquer parlamentar pode se lançar candidato durante a sessão que elegerá a nova composição da mesa diretora, mas o pleito se dará em chapa única.

Contudo, o 2º secretário da CMM não quis confirmar a recondução dos membros da mesa para os mesmos cargos que ocupam no momento.

“Isso é com o presidente [Kelmann Vieira]. A definição virá dele e como sou do grupo, o que ficar decidido eu acato”, diz Zé Márcio Filho.

Segundo a convocação para a eleição da mesa diretora da CMM, publicada no Diário Oficial do Município (DOM) no último dia 14 de junho, a disputa se dará por meio de chapas cuja inscrições deverão “ocorrer no início da Sessão acima convocada; não podendo um mesmo Vereador ou Vereadora integrar mais de uma chapa”.

A reportagem da Tribuna Independente tentou contatar o vereador Kelmann Vieira, mas ele não atendeu aos telefonemas. Assim como Eduardo Canuto, líder da base do prefeito Rui Palmeira – ambos do PSDB –, que também não atendeu aos telefonemas.

Com a reeleição de Kelmann Vieira como presidente da Câmara Municipal, e se confirmando a saída de Rui Palmeira (PSDB) da Prefeitura de Maceió para disputar a eleição ao Governo do Estado em 2018, o vereador se torna, na prática, o novo vice-prefeito da cidade.

Antecipação fortalece atual presidente

Logo quando se noticiou de que a eleição da Mesa Diretora da CMM seria antecipada, circulou a informação de que uma das causas seria uma relação conflituosa entre o vereador Kelmann Vieira e o atual vice-prefeito de Maceió, Marcelo Palmeira (PP).

Caso o prefeito Rui Palmeira seja mesmo candidato em 2018, o vice assume a titularidade do Executivo maceioense e o presidente do parlamento se torna, na prática, o novo vice-prefeito da cidade. Esse raciocínio foi confirmado pelo líder da base de apoio à gestão municipal na CMM, Eduardo Canuto, na edição de 14 de junho da Tribuna Independente.

“Talvez seja precipitação, mas hoje temos unanimidade. Para o ano, ou daqui a seis meses, a discussão politica será ampliada e se começa a partidarizar. E pode ser que daqui a seis meses ele [Kelmann] não goze dessa unanimidade. Renan [Filho, PMDB] e Rui vão cada um para um lado, e aí o PMDB vai querer lançar candidato à mesa diretora. Rui é candidato, Marcelo assume e o Kelmann será – entre aspas – o vice-prefeito”, disse Eduardo Canuto.

Na mesma edição, ele confirmou que já houvera problema de relação entre Kelmann Vieira e Marcelo Palmeira, mas afirmou já ser caso superado.

“Houve algum desconforto entre eles porque se ventilou a possibilidade de o Kelmann ser candidato a vice de Rui. Isso, de fato, aconteceu e Marcelo ficou chateado. Eu até intermediei isso, mas o Kelmann jamais quis assumir o lugar dele”, relatou Eduardo Canuto.

Kelmann foi filiado ao PMDB até o final do primeiro mandato de Rui Palmeira, mas por não conseguir fazer os peemedebistas apoiarem a reeleição do prefeito, ele trocou de legenda.

Com a reeleição da próxima quarta-feira, Kelmann Vieira garante seu terceiro mandato consecutivo à frente da Casa de Mário Guimarães.

 

Fonte: Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH