Política

9 de junho de 2017 08:05

Polícia Federal deflagra operação contra político alagoano ligado ao futebol

Segundo a assessoria de comunicação da PF em Alagoas, “teria havido omissão de tais receitas/despesas nas declarações enviadas pelo político [alagoano] à Justiça Federal”

Atualizada às 17h03

A Polícia Federal (PF) em Alagoas desencadeou nesta sexta-feira (9) a “Operação Bola Fora”. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a pedido do Ministério Público Eleitoral, em quatro endereços nos municípios de Maceió e Boca da Mata.

A PF instaurou inquérito policial para apurar fatos trazidos à tona na “CPI do Futebol”, no Senado Federal, e que foram objeto de investigação em São Paulo. A investigação aponta que um político alagoano, ligado a entidades do futebol – estadual e nacional – teria recebido recursos em caixa 2 de pessoas também ligadas a esse esporte.

Segundo a assessoria de comunicação da PF em Alagoas, “teria havido omissão de tais receitas/despesas nas declarações enviadas pelo político [alagoano] à Justiça Federal”.

A Operação Bola Fora foi utilizou efetivo de 20 policiais federais da PF em Alagoas para execução das medidas judiciais.

A PF não identificou o político alvo da operação e uma entrevista coletiva está marcada para 10h30 desta sexta-feira.

O material arrecadado será levado à Superintendência Regional de Polícia Federal em Alagoas, onde será analisado posteriormente.

Nota de esclarecimento – FAF

A Federação Alagoana de Futebol(FAF) vem a público esclarecer que, na manhã desta sexta-feira (09), recebeu a visita da Polícia Federal, que cumpria mandado.

A entidade, assim como seus funcionários, contribuiu de todas as formas para a execução do trabalho da polícia, que transcorreu de forma tranquila, não tendo havido, inclusive, nenhuma apreensão com recolhimento de documentos ou materiais.

A FAF, sempre regida pela ética e transparência da atual Administração, permanece à disposição para contribuir e prestar quaisquer esclarecimentos às autoridades e aos órgãos competentes.

Nota de esclarecimento – Gustavo Feijó

GUSTAVO DANTAS FEIJÓ, por meio de sua assessoria jurídica — tendo em vista os fatos informados pela mídia, relativos à operação realizada pela Polícia Federal na manhã desta sexta-feira, 9 de junho de 2017 — vem a público esclarecer: A busca e apreensão ora noticiada decorreu de decisão do TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE ALAGOAS, em procedimento onde se apura suposta arrecadação irregular de recursos financeiros durante o pleito eleitoral de 2012. 

O Prefeito Gustavo Feijó, como não poderia ser diferente, acompanha com tranquilidade as investigações, convicto de sua utilidade para demonstrar, definitivamente, a total licitude de sua campanha. Informa, ainda, que todos os gastos eleitorais por ele realizados foram integralmente declarados e sua prestação de contas devidamente aprovada por essa mesma JUSTIÇA ESPECIALIZADA.

Por fim, ciente da transparência e regularidade de seus atos, reafirma o Prefeito que está à disposição da Justiça para prestar todas as informações necessárias à elucidação dos fatos.

Nota de esclarecimento – Felipe Feijó

FELIPE OMENA FEIJÓ, por meio de sua assessoria jurídica — tendo em vista os fatos informados pela mídia, relativos à operação realizada pela Polícia Federal na manhã desta sexta-feira, 9 de junho de 2017 — vem a público esclarecer:

A busca e apreensão ora noticiada decorreu de decisão do TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE ALAGOAS, em procedimento onde se apura suposta arrecadação irregular de recursos financeiros durante o pleito eleitoral de 2012 no município de Boca da Mata, que teve como prefeito eleito o Sr. GUSTAVO DANTAS FEIJÓ.

Em que pese as diligências terem sido realizadas em sua residência e na sede da FEDERAÇÃO ALAGOANA DE FUTEBOL, da qual é presidente, o Sr. FELIPE FEIJÓ não possui qualquer vínculo com o objeto da investigação, inclusive porque remete a fatos que sequer datam de sua gestão à frente da entidade.

Informa, ainda, que a busca realizada na sede da Federação não resultou em nenhuma apreensão.

Quanto ao recolhimento da arma de fogo de uso permitido encontrada em sua residência, esclarece também que a inexistência de ilicitude será oportunamente comprovada perante à Justiça.

Por fim, convicto de que qualquer ilicitude praticou, reafirma a sua disposição para prestar todas as informações necessárias à elucidação dos fatos.

Maceió/AL, 09 de junho de 2017.

ASSESSORIA JURÍDICA”.

Fonte: Redação com assessoria

Comentários

MAIS NO TH