Política

10 de novembro de 2016 20:48

'Efeito Donald Trump' sobre Bolsonaro em 2018 divide Congresso

Após vitória de republicano nos EUA, deputado do PSC reforçou que pretende emplacar candidatura ao comando do Planalto

A vitória de Donald Trump nos Estados Unidos reacendeu a esperança do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) de conquistar apoio suficiente para ganhar a disputa presidencial em 2018.

Após o republicano conseguir superar Hillary Clinton, a candidata democrata a Casa Branca, Bolsonaro fez menção ao resultado em sua página no Twitter. “Vence aquele que lutou contra ‘tudo e todos’. Em 2018 será o Brasil no mesmo caminho”, disse, através de sua conta oficial na rede social. Um eventual efeito Trump sobre a candidatura de Bolsonaro em 2018 dividiu parlamentares nesta quarta-feira (9).

Em entrevista a EXAME.com, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), filho do parlamentar, destacou que “as pancadas que Trump levou durante a campanha presidencial” são similares as críticas feitas ao clã Bolsonaro.

“Acredito que a vitória de Trump possa alavancar a candidatura do meu pai ao Planalto. Chegou a hora de derrotar nossos perseguidores e acabar com a vitimização na política e com o empoderamento das minorias, sustentado pela esquerda ”, disse o filho de Bolsonaro.

Por outro lado, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) lamentou o desfecho da corrida presidencial norte-americana e alertou que o resultado pode fortalecer a onda reacionário no Brasil.

“É natural que Bolsonaro e sua trupe queiram se apropriar dessa vitória. É preciso olhar com cautela esse discurso que estimula a violência e os preconceitos”, afirmou o petista a EXAME.com.

O filho de Bolsonaro fez um desabafo sobre as acusações contra sua família. “Não vamos tolerar mais calúnias. Não estão sabendo lidar com a força da direita. A vitória de Trump e do Brexit (no Reino Unido) é um recado do mundo que está cansado da vitimização comum nas pautas da esquerda”.

Em dia de aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Teto de gastos públicos, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e da primeira etapa da reforma política, a vitória de Trump teve espaço nas conversas dos parlamentares.

Enquanto alguns demonstravam curiosidade, outros não escondiam a preocupação sobre o futuro das relações entre Brasil e Estados Unidos.

Após vitória de Trump, Bolsonaro reforçou que pleiteará o comando do Palácio do Planalto em 2018. “Eu sou candidato em 2018, gostem ou não gostem. Cassem o meu mandato, mas não fiquem me caluniando”, disse.

Fonte: EXAME.com

Comentários

MAIS NO TH