Polícia

30 de julho de 2020 11:46

Polícia vai investigar o caso do paciente oncológico e influencer Gui Pagnocelli

Alagoano é acusado de fraude em redes sociais

↑ Gui Pagnocelli (Foto: Arquivo Pessoal)

Uma suposta fraude passa a ser investigada pela Polícia Civil de Alagoas (PC/AL), envolvendo o paciente oncológico e influencer Gui Pagnocelli. O alagoano teria pedido dinheiro para um tratamento nos Estados Unidos, mas nunca falou sobre a ida ao país.

O caso veio à tona e chamou ainda mais atenção após uma doadora denunciar Gui com o registro de um Boletim de Ocorrências (BO).

Em nota, a Polícia Civil informou por meia da assessoria de comunicação que a investigação foi iniciada e o inquérito ficará a cargo da Divisão Especial de Investigação e Capturas (DEIC).

O Digital Influencer alagoano está sendo acusado de arrecadar uma grande quantia em dinheiro para um suposto tratamento de câncer fora do Brasil.

De acordo com a página que denunciou o caso, Gui foi diagnosticado com uma neoplasia no estômago, em 2012 e esta na luta contra o câncer terminal desde então. Em 2017, o influencer resolveu utilizar as redes sociais para arrecadar dinheiro para seu tratamento e alcançar assim uma possível cura.

No mesmo ano, Gui abriu uma vakinha para receber doações com intenção de adquirir o valor de R$ 50 mil e em menos de 24 horas, o influencer conseguiu bater a meta, que logo foi dobrada e dobrada novamente fazendo com que o mesmo arrecadasse cerca de R$ 360 mil.

Nota à imprensa

Em função de alguns questionamentos feitos por órgãos de imprensa, acerca da polêmica que predomina nas redes sociais, envolvendo o jovem Gui Pagnocelli, a Polícia Civil de Alagoas informa que a Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic) passará a investigar o caso, após registro de Boletim de Ocorrência (BO) feito por uma doadora do digital influencer. Comunica ainda que, em razão da sensibilidade do caso, as investigações ocorrerão sob sigilo, e sem prévio juízo de valor antes do esclarecimento total dos fatos

Fonte: Tribuna Hoje, com assessoria

Comentários

MAIS NO TH