Polícia

5 de setembro de 2019 20:31

Homem que encontrou criança no lixo em Maceió é interrogado pela Polícia Civil

Pescador é apontado como testemunha do crime

↑ Maternidade Santa Mônica (Foto: Adailson Calheiros)

Nesta quinta-feira (5), a Polícia Civil de Alagoas interrogou o homem que encontrou um bebê dentro de um saco de lixo em uma lixeira no bairro da Ponta Grossa, em Maceió. O recém-nascido prematuro foi encontrado na Rua da Paz no início da manhã desta quarta-feira (4) e encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro do Trapiche da Barra. Logo depois, foi transferido para a Maternidade Escola Santa Mônica.

O pescador, identificado como José Roberto, é apontado como testemunha do crime. Segundo a Polícia Civil, ele relatou que não conhece os pais da criança. À imprensa, a Delegacia de Crimes contra a Criança e o Adolescente (DCCCA) afirmou que vai precisar de uma investigação para identificar os responsáveis pelo crime.

A delegacia disse à imprensa que não há nenhuma informação sobre o paradeiro dos pais do recém-nascido, que teve um tempo de gestação de aproximadamente 28 semanas.

O Conselho Tutelar da Região Administrativa II informou que irá formalizar uma denúncia na Delegacia Especial dos Crimes Contra a Criança e o Adolescente nesta sexta-feira (6).

Estado de Saúde

A Maternidade Escola Santa Mônica informou, por meio de nota, que o recém-nascido do sexo masculino teve uma evolução no quadro de saúde nesta quinta-feira e está estável, porém segue em estado grave e respirando com ajuda de aparelhos, segundo informou boletim médico.

A equipe médica divulgou também que a os exames feitos com a criança deram resultados normais e que a criança está sendo mantida sob uso de antibiótico em virtude da condição clínica, pela falta de informações durante o período pré-natal e condições de nascimento a qual o menino foi exposto.

O boletim ressalta que qualquer ação com relação à saúde do bebê vai depender do quadro de evolução, já que terá que atingir o peso mínimo de 1,8 kg e ter condição clínica favorável para receber alta hospitalar.

Fonte: Tribuna Hoje

Comentários

MAIS NO TH