Polícia

22 de julho de 2019 13:34

Polícia pede e juiz determina bloqueio de rede social de ONG

Gestoras teriam reativado o perfil de Instragram @patavoluntaria e mantido a publicação do falso crime de roubo

↑ Delegado Thiago Prado (Foto: Ascom PC/AL)

A Seção de Crimes Cibernéticos da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic) constatou que, após a soltura, as gestoras da ONG “Pata Voluntária”, presas acusadas de praticar crimes de estelionato com vítimas em todo o país, teriam reativado o perfil de Instragram @patavoluntaria e teriam mantido a publicação do falso crime de roubo.

Como foi constatado que a mensagem poderia enganar mais vítimas a depositar dinheiro nas contas da ONG, o delegado Thiago Prado representou pelo imediato bloqueio da conta social.

No pedido feito ao juízo da 6ª Vara Criminal, responsável pelo caso, o delegado afirma que o perfil social manteve a publicação que gerou o crime, ficando “claro que persiste o intuito de enganar as pessoas de boa-fé, para que efetuem depósitos em contas correntes da instituição”.

“Assim, diante do evidente uso da rede social para a prática de crime, faz-se necessário e urgente ordem judicial para que seja determinado o imediato bloqueio do perfil social @patavoluntaria,  utilizado como instrumento de crime, a fim de impedir que outras pessoas venham a ser vítimas do golpe”, acrescentou.

A decisão assinada pelo juiz de direito George Leão de Omena deferiu o pedido e já foi remetida para o Instragram, para imediato cumprimento.

 

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH