Polícia

14 de maio de 2019 15:13

Operação da PF prende suspeitos de aplicar golpes na Caixa Econômica

Aproximadamente R$ 600 mil teriam sido obtidos com falsificação, estelionato e lavagem de dinheiro

↑ Operação Facetas cumpriu mandados na manhã desta terça-feira (14) (Foto: Assessoria)

A Polícia Federal em Alagoas deflagrou nas primeiras horas da manhã desta terça-feira (14), a Operação Facetas. Foram cumpridos cinco mandados judiciais de busca e apreensão, um mandado de prisão preventiva, além do sequestro de bens móveis e imóveis expedidos pela 2ª Vara da Justiça Federal em Alagoas, nos municípios de Maceió e Marechal Deodoro.

Segundo a Polícia Federal, as investigações foram iniciadas em 2017, e constataram lesão contra o patrimônio da Caixa Econômica Federal. Com base no Código Penal Brasileiro, foram supostamente configurados os crimes de falsificação de documento público (art. 297), falsificação de documento particular (art. 298), estelionato majorado (art. 171, §3º), e associação criminosa (art. 288). Também existe a acusação de lavagem de dinheiro (art. 1º, da lei 9613/98).

Somadas, as penas máximas podem ultrapassar 30 anos de prisão, além de implicar em perda de patrimônio para ressarcir o patrimônio da Caixa Econômica Federal.

As condutas que a PF afirma terem sido comprovadas, seriam de falsificação de documentos de identificação (substituindo-se a fotografia verdadeira por outra de terceira pessoa), falsificação de recibos e extratos de imposto de renda para comprovação de renda,  abertura de contas bancárias com utilização do limite, contratação de CDC e cartão de crédito,  falsificação de certidão de registro de imóvel (utilizada para simulação de financiamento imobiliário), ocultação dos valores obtidos de forma ilegal em contas bancárias em nome de terceiros; dentre outras.

Na operação, foram apreendidos veículos, casas e apartamentos, além de dinheiro em contas bancárias, com o objetivo de ressarcir ao patrimônio da empresa pública federal, que foi lesado inicialmente em, aproximadamente, R$ 600.000,00 (seiscentos mil reais).

Foram instaurados seis Inquéritos Policiais na Superintendência Regional da PF em Alagoas, e a investigação continua para averiguar outros possíveis ilícitos até então não descobertos.

O nome da Operação (Facetas) é uma alusão ao modo de agir dos investigados, consistente nas substituições de fotografias em documentos de identificação, com dados verídicos, porém com faces não condizentes com tais dados.

Fonte: Tribuna Hoje / Com Assessoria

Comentários

MAIS NO TH