Polícia

23 de abril de 2019 08:40

Sindpol alerta para guerra entre os policiais civis e policiais militares de Alagoas

Sindicato externa preocupação de possíveis retaliações entre instituições policiais

↑ Delegacia Geral de Polícia Civil (Foto: Ascom PC/AL)
Diante de inúmeros relatos negativos das abordagens dos policiais militares e a forma de tratamento, o Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas – Sindpol vem a público externar a preocupação de possíveis retaliações entre as instituições policiais, visto que os policiais civis não quiseram fazer a denúncia na Corregedoria da PM devido ao corporativismo.
O presidente do Sindpol, Ricardo Nazário, já havia se reunido com o Comandante-Geral da Polícia Militar de Alagoas, coronel Marcos Sampaio Lima, em 4 de julho de 2017, informando a preocupação com comportamentos rudes de algumas guarnições da Polícia Militar com os policiais civis, mesmo depois do policial civil se identificar nas ocasiões.
No encontro, o coronel Marcos Sampaio de Lima havia se comprometido a reunir o Estado Maior e emitir para todos os batalhões do Estado de Alagoas a recomendação de que as guarnições ajam com urbanidade quando se depararem com os policiais civis.
Após quase dois anos, a diretoria do Sindpol informa que a reunião com o Comandante-Geral não surtiu efeito, vindo a aumentar a animosidade da categoria com os policiais militares. O presidente do Sindpol, Ricardo Nazário, preocupado com possíveis retaliações entre as instituições, alerta: “Entendemos que os policiais civis são membros da segurança pública e que essa falta de urbanidade e respeito podem trazer sérios problemas para a sociedade. Quando os órgãos da segurança pública não conseguem caminhar juntos, quem sofre é a sociedade”, ressalta o sindicalista.
Ricardo Nazário pontua que o Governo do Estado mente em suas propagandas, que há integração das policiais, mas que, na verdade, isso é marketing político. “Os policiais não estão integrados, e o pior é que estão quase em pé de guerra”, disse, acrescentando que os Centros Integrados de Segurança Pública – CISP são verdadeiras mentiras passadas para a sociedade alagoana.
O presidente do Sindpol esclarece que o Sindicato defende a Constituição brasileira e a democracia, e acredita nas instituições policiais trabalhando e defendendo a sociedade, dentro da legalidade, alinhando as normas e padrões a serem seguidos pelos operadores da segurança pública.
A diretoria do Sindpol informa que enviará ofício ao Conselho de Segurança Pública de Alagoas – Conseg, à Promotoria do Controle Externo, Promotor Magno Alexandre, ao Comandante-Geral da Polícia Militar de Alagoas, coronel Marcos Sampaio Lima, ao secretário de Segurança Pública Lima Júnior, ao Procurador-Geral de Justiça de Alagoas, Alfredo Gaspar de Mendonça, solicitando as autoridades reunião para tratar das abordagens e conduções dos policiais civis e policiais miliares com urgência.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH