Polícia

20 de março de 2019 16:14

Ação integrada apreende mais de duas toneladas de maconha no Sertão alagoano

Apreensão do entorpecente foi a maior registrada no ano, até o momento, no Estado

↑ Plantação da droga foi encontrada em Mata Grande (Foto: Ascom SSP/AL)

Uma ação integrada das Polícias Civil e Militar, realizada nesta terça-feira (19), resultou na maior apreensão de maconha do ano, até o momento, em Alagoas. Mais de duas toneladas da droga foram encontradas em uma plantação localizada em um sítio na zona rural de Mata Grande, Sertão de Alagoas.

A operação foi comandada pelos delegados Rodrigo Cavalcanti, titular da Delegacia Regional de Delmiro Gouveia; delegado Cícero Lima, Gerente de Polícia Judiciária; Daniel Mayer, delegado de Piranhas; e Thomaz Acioly, titular da Delegacia de Mata Grande. Já as equipes do Pelotão de Operações Especiais (Pelopes), da Companhia de Operações Especiais (Copes – Caatinga), da Radiopatrulha e Força Tarefa foram comandadas pelo comandante do 9º Batalhão, tenente-coronel Anaximandro Tenório, e pelo tenente Vitor.

A polícia tomou conhecimento que em uma propriedade rural, localizada no Sítio Boi Velho, havia uma vasta plantação de maconha que estava em ponto de colheita. As equipes se deslocaram até o endereço e flagraram cinco homens realizando a irrigação da plantação. Ao perceberem a presença policial, o grupo efetuou tiros e conseguiu fugir.

Posteriormente, eles foram identificados como Adelcio Alonso da Silva, proprietário do terreno onde estava plantada a droga; José Alves da Silva, o “Dedé”; Francisco Severiano Brandão, conhecido como “Chiquinho”; e dois homens identificados apenas como “Color” e “Galego de Gentil”.

No terreno, foram contabilizados 2.150 pés de maconha, que após pesagem resultaram em 2,1 toneladas da droga. Após recolherem uma amostra para ser periciada, a droga foi incinerada no local onde ocorreu a apreensão.

O delegado Rodrigo Cavalcanti informou que já solicitou o pedido de prisão preventiva de todos os citados por associação criminosa.

Fonte: Ascom SSP/AL

Comentários

MAIS NO TH