Polícia

21 de fevereiro de 2019 18:03

Laboratório de Genética Forense de AL encontra sêmen de suspeito em calcinha de menor

Caso entre adolescentes de 13 e 15 anos aconteceu em um shopping de Maceió

↑ Trabalho da Perícia Oficial (Foto: Perícia Oficial de Alagoas)

O que era para ser apenas um passeio em um grande centro comercial de Maceió terminou com uma adolescente de 13 anos estuprada em um dos banheiros do Shopping. O crime foi noticiado à Delegacia Especial da Criança e do Adolescente (DECA) e um suspeito, também menor de idade com 15 anos, foi denunciado.

Para comprovar a autoria do ato infracional análogo a estupro de vulnerável, a delegada Teíla Rocha que investiga o caso, solicitou exames periciais ao Instituto de Criminalística de Alagoas. A requisição pedia para que o Laboratório de Genética Forense do órgão encontrasse vestígios de material biológico do suspeito em uma peça de roupa íntima usada pela vítima no dia da ocorrência.

Segundo a perita criminal Carmélia Miranda, responsável pela perícia, o exame de DNA foi realizado em duas etapas. A primeira, encontrar material biológico na calcinha usada pela vítima e, em um segundo momento, detectar perfis genéticos e compará-los com o da menor e do suspeito.

“Durante a análise, consegui encontrar na peça íntima da vítima materiais biológicos, entre eles, sangue e sêmen. Quando comparado com os perfis genéticos das referências, ficou confirmado que o sêmen era do suspeito, comprovando sua presença na cena do crime”, explicou Carmélia Miranda.

O laudo pericial contendo a prova técnica que confirmou a autoria do ato infracional já foi concluído e encaminhado para a delegacia que investiga o caso. “Mais uma vez, o exame de DNA realizado pelo Laboratório de Genética Forense do IC se tornou fundamental na identificação do suspeito e no esclarecimento de um ilícito.” Concluiu a perita criminal.

Os nomes da vítima e do suspeito, menores de idade não serão divulgados em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente, como também o nome do shopping já que a investigação corre em sigilo. O inquérito policial foi concluído e remetido a Justiça alagoana.

Fonte: Ascom Perícia Oficial / Texto: Aarão José

Comentários

MAIS NO TH