Polícia

28 de janeiro de 2019 10:48

Justiça leva a júri acusado de homicídio em confraternização de empresa

Réu Edvaldo Batista da Silva teria efetuado disparos de arma de fogo após uma briga durante festa de uma transportadora, em 2009

↑ (Arte: Dicom TJAL)

A 9ª Vara Criminal da Capital leva a júri, nesta terça-feira (29), o réu Edvaldo Batista da Silva, acusado de matar Cosme Souza Santana durante a confraternização de uma empresa. O julgamento será conduzido pelo juiz Geraldo Cavalcante Amorim, às 13h, no Fórum do Barro Duro.

De acordo com a denúncia, o crime ocorreu em dezembro de 2009 na empresa Tutto Transportadora, localizada no Distrito Industrial de Maceió. Segundo testemunhas, o crime teria sido ocorrido após alguns funcionários, incluindo a vítima, fazerem comentários em tom de brincadeira dirigidos ao réu, resultando numa briga.

Em depoimento, testemunhas afirmam que após o ocorrido, Edvaldo retornou à festa armado procurando o autor das brincadeiras e efetuou os disparos contra Cosme Souza. O acusado alega ter agido em legítima defesa, e afirma que o grupo não o aceitava por investigar roubos na empresa.

Ainda segundo o depoimento de Edvaldo, quando o chamaram para receber um prêmio durante a festa, ouviu um grupo o apelidando de “chumbeta”, “baba ovo” e “corno”. O réu conta que um funcionário teria tentado lhe agredir, e que por isso efetuou um disparo para cima com o intuito de afastar os homens.

Edvaldo afirma que pretendia atirar na perna de Cosme, que era quem tentava desarmá-lo, mas no momento do disparo levou um tapa que fez com que o tiro atingisse a vítima em outro lugar.

Após a confusão, o réu fugiu da empresa, mergulhou no açude e saiu nadando, segundo o próprio relata. Edvaldo Batista da Silva será julgado pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil e com recurso que dificultou a defesa da vítima.

Matéria referente ao processo nº 0029570-51.2010.8.02.0001

Fonte: Dicom TJAL

Comentários

MAIS NO TH