Polícia

12 de novembro de 2018 08:57

Polícia divulga organograma de grupo criminoso morto em operação no Sertão de Alagoas

Funções na 'Empresa do crime' iriam do transporte de armas à organização de esconderijos 

↑ Armas apreendidas com o grupo criminoso durante a operação Cavalo de Tróia (Foto: Divulgação / Deic)

O delegado Fábio Costa, da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), divulgou, nas redes sociais na manhã desta segunda-feira (12), o organograma de crimes e a função de cada um dos 11 membros da quadrilha especializada em assaltos a bancos, que resultou na morte deles durante uma troca de tiros com a polícia, na última quinta-feira (8), em Santana do Ipanema, no Sertão de Alagoas.

De acordo com o delegado, a ’empresa do crime’ funcionava de maneira organizada, com atividades que iriam do transporte de armas à organização de esconderijos.

Fábio Costa disse ainda que o grupo criminoso possuía membros ativos, com funções bastante específicas, que contava com coordenação, detonação de caixas eletrônicos, logística de carros e pontos de apoio para esconderijos e transporte de armas. Alguns já tinham passagem pela polícia.

Dentre eles, destaca-se a ação de Carlos Alberto de Lima, vulgo “Coquinho”, responsável pelo acionamento dos explosivos. Investigações policiais dão conta de que ele teria participação em pelo menos 30 ataques a instituições financeiras do estado nos últimos três anos.

A  Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas (OAB/AL), solicitou da Secretaria de Segurança Pública (SSP) investigação da operação policial.

A Corregedoria da Polícia Civil também irá investigar a ação, conforme recomendação do Ministério Público Estadual.

Uma comissão especial de delegados, designados pelo delegado geral de Polícia Civil, Paulo Cerqueira, vai apurar como se deram as mortes.

Já a Associação dos Servidores da Polícia Civil do Estado de Alagoas informou que vai protocolar um pedido de concessão de elogios aos policiais que participaram da operação.

CONFIRA ORGANOGRAMA DA QUADRILHA:

Manoel Bezerra de Almeida, vulgo ‘Matuto’

  • Líder interestadual da organização criminosa;
  • Cumpria pena no Presídio de Paulo Afonso/BA, tendo saído recentemente;
  • Várias prisões por roubo a banco nos estados do Pará, Ceará e Rio Grande do Norte.

Evandro de Paula Lima Silva, vulgo ‘Saulo explosivista’

  • Principal explosivista da organização criminosa interestadual e um dos mais procurados no Nordeste;
  • Participou de roubos em praticamente toda a região Norte/Nordeste;
  • Várias prisões por roubo a banco no estados da Paraíba, Alagoas e Rio Grande do Norte;
  • Foragido de um presídio potiguar desde 2012;
  • Em sua última prisão, houve troca de tiros com a PM na cidade Catolé do Rocha/PB;
  • Envolvimento em explosões de bancos e carros-forte na Paraíba e Rio Grande do Norte.

Cristiano Rômulo de Souza Rodrigues, vulgo ‘Rominho’

  • Preso em 2017 por integrar quadrilha de roubo a banco e a carro-forte em operação conjunta da CIPE caatinga PM/BA e GATI do 5º BPM/Petrolina;
  • Mandado de prisão em aberto em PE, onde era foragido por romper a tornozeleira eletrônica.

José Lutemberg Nogueira Santos, vulgo ‘Lutinho’ ou ‘Doutor’

  • Líder e principal articulador do núcleo alagoano;
  • Mandado de prisão em aberto pela participação no roubo ao Banco do Brasil, em 17 de setembro de 2018, em Igreja Nova/AL;
  • Responsável pelo apoio aos grupos oriundos de outros estados, providenciando a logística de carros, armas e pontos de apoio (esconderijos).

Carlos Alberto de Lima, vulgo ‘Coquinho’

  • Explosivista do núcleo alagoano;
  • Mandado de prisão em aberto pela participação no roubo ao Banco do Brasil, em 17 de setembro de 2018, em Igreja Nova/AL;
  • Em sua residência, na zona rural de Craíbas, foram apreendidos 25 kg de explosivos, arma e munições no início de outubro deste ano;
  • Desde 2015, atuando na função de explosivista, com participação direta em, pelo menos, 30 ataques a instituições financeiras do estado.

Adeildo de Souza Timóteo, vulgo ‘Del’

  • Cumpriu pena no sistema prisional alagoano por roubo a banco, tendo sido preso pela SERB/DEIC em abril de 2017;
  • Desde 2015, atuando junto com Coquinho e Doutor na grande maioria dos ataques a instituições financeiras em Alagoas.

Adjane da Silva, vulgo ‘Jânio’

  • Responsável pela logística de fuga, sendo amplo conhecedor das rotas no Sertão, que interligam AL e demais estados nordestinos;
  • Preso em junho de 2016 por porte ilegal de arma de fogo;
  • Participou, dando apoio logístico, a vários ataques a instituições financeiras no Sertão de AL e PE.

André Luiz de Morais Lima

  • Explosivista em ataques a bancos e carros-forte em todo o Nordeste;
  • Preso em setembro de 2016, pelo GATI e Patrulha Rural/PMPE, por roubo a banco;
  • Procurado pelas forças policiais de vários estados do NE.

Adriano Souza Silva Júnior, vulgo ‘Júnior Preto’

  • Respondia a processo em SE por envolvimento em roubo a banco;
  • Mandado de prisão em aberto pela participação no roubo ao Banco do Brasil, em 17 de setembro de 2018, em Igreja Nova/AL;
  • Responsável pelo transporte das armas entre os estados.

Josivan dos Santos, vulgo ‘Vanvan de Petrolina’

  • Responsável pelo fornecimento de explosivos, espoletas e cordel detonante para vários grupos de assalto a banco no Norte/Nordeste;
  • Era responsável por fazer a contenção e atirar contra as bases policiais nas cidades atacadas;
  • Era procurado por várias forças policiais por envolvimento em ataques a instituições financeiras em Alagoas, Pernambuco e Bahia.

Bruno Emanuel Batista Araújo, vulgo ‘Bruno de Angelim’

  • Preso no Piauí por fornecer armas para quadrilhas de roubo a banco em todo o Nordeste;
  • Ameaçou dois capitães da PM no Piauí;
  • Considerado um dos mais violentos do grupo;
  • Era responsável por fazer a contenção e atirar contra as bases policiais nas cidades atacadas.

Fonte: Tribuna Hoje / Com agências

Comentários

MAIS NO TH