Polícia

28 de setembro de 2018 16:28

Operação do MP cumpre mandados em cinco municípios alagoanos

Suspeito de comandar a organização morreu em troca de tiros com os policiais

↑ Suspeito que morreu em troca de tiros portava faca com a alcunha 'Véio Tonho' (Foto: Assessoria do Ministério Público de Alagoas)

Em virtude de investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL), em parceria com a Promotoria de Justiça de Cacimbinhas, que ajuizou ação penal contra os mesmos investigados, foi deflagrada uma operação, nesta sexta-feira (28), que teve o objetivo de cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão, visando desbaratar uma organização criminosa (Orcrim) que atuava no estado, praticando crimes de pistolagem e corrupção policial.

A operação, que aconteceu nos municípios de Cacimbinhas, Palmeira dos Índios, Dois Riachos, Estrela de Alagoas e Belém, ainda está em andamento e objetiva dar cumprimento a seis mandados de prisão, expedidos pelo juiz da Comarca de Cacimbinhas, e 14 mandados de busca e apreensão, emitidos pela 17ª Vara Criminal da Capital.

Durante uma das etapas da operação, Antônio Carlos Farias Ferro, contra o qual pesava mandado de prisão preventiva, foi localizado na Fazenda Povoado Cabeça Dantas, na BR-316, na cidade de em Palmeira dos Índios. Ele reagiu violentamente à prisão, atirou contra os policiais que efetuariam a sua prisão, e foi alvejado, evoluindo a óbito.

Segundo as investigações, Antônio Carlos comandava a Orcrim e estava envolvido em alguns assassinatos, tanto como autor intelectual como material, já sendo réu em um processo por homicídio.

A operação contou com a participação dos policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRV), Batalhão de Polícia De Trânsito (BPtran), Batalhão de Radiopatrulha, e de agentes da Polícia Civil da Delegacia de Repressão ao narcotráfico (DRN), Delegacia de Roubos, da Operações Litorâneas (Oplit) e Asfixia.

A operação ainda está em andamento e mais informações devem ser passadas posteriormente.

(Fotos: Assessoria do Ministério Público de Alagoas)

foto 1

foto 2

Fonte: Tribuna Hoje com Assessoria do Ministério Público de Alagoas

Comentários

MAIS NO TH