Polícia

21 de setembro de 2018 11:16

Mãe de menino encontrado morto é presa em flagrante por homicídio

Jandira da Silva foi encontrada desacordada dentro do apartamento onde morava com o filho de seis anos

↑ Criança foi encontrada morta dentro do apartamento onde morava com a mãe (Foto: Cortesia)

Jandira da Silva, de 46 anos, recebeu alta do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, e em seguida foi presa em flagrante pela morte do seu filho de seis anos de idade. Ela e a criança foram encontrados desacordados no apartamento onde moravam na tarde de quinta-feira (20) depois que os vizinhos denunciaram um forte cheiro de gás de cozinha saindo do local. O menino já estava morto e ela, apesar de ter sido dada como morta a princípio, apresentou sinais vitais e foi socorrida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O delegado Rodrigo Sarmento, responsável pelo caso, explicou que Jadira da Silva será interrogada e em seguida levada para o Presídio Santa Luzia, onde permanecerá detida à disposição da Justiça. Ela foi autuada pelo crime de homicídio.

Depressão deve ser levada a sério

A reportagem do Tribuna Hoje conversou com a psicóloga Larissa Cabús que opinou sobre o caso. Ela afirma que, apesar de não estar certa sobre as circunstâncias do caso, a omissão da família com relação ao estado emocional de Jadira da Silva pode ter sido uma das causas da morte da criança e da tentativa de suicídio.

“Estamos em 2018 e a depressão ainda não é tratada como deveria. Se essa mulher, que era viúva há pouco tempo, morava sozinha com o filho pequeno, já apresentava sinais de tristeza profunda, não existia nenhum parente que pudesse acolhê-la? Ela não tinha nenhum familiar que a levasse junto com seu filho para morar com eles até passar por esse período de luto? Na minha opinião, se houve omissão da família, eles também deveriam responder pelo crime”, opina a psicóloga.

Em nota, o Instituto de Medicina Legal Estácio de Lima (IML) informou que o perito médico legista Kleber Santana solicitou exames complementares para concluir o laudo cadavérico no corpo da criança identificada como Luiz Gustavo Silva Cavalcanti Vilar, nascido em 06/08/2012, com 6 anos.

O médico legista coletou material biológico do fígado, rins, pulmões e sangue do coração da vítima para realização de exames no laboratório forense do Instituto de Criminalística. O laudo com a causa da morte ficará pronto assim que ele receber o resultado desses exames.

A suspeita é de asfixia por inalação de gás ou envenenamento.

Fonte: Thayanne Magalhães

Comentários

MAIS NO TH