Polícia

16 de março de 2018 15:10

Polícia Civil esclarece assassinato de casal e três suspeitos são detidos

Empresário e esposa foram mortos a tiros e queimados dentro de automóvel

↑ José Alberto e Quitéria Mendes foram encontrados mortos dentro de carro carbonizado (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil de Alagoas conseguiu esclarecer a morte do casal José Alberto Alves, 47 anos, conhecido como “Chacal”, e Quitéria Mendes dos Santos, que tiveram os corpos encontrados em 26 de agosto do ano passado dentro de um automóvel incendiado, próximo à usina Porto Rico, no município de Campo Alegre. O crime foi investigado pelos delegados Fábio Costa, gerente de Polícia Judiciária da Região 3 (DPJ3), e Alexandre César, titular da distrital de Campo Alegre.

Em operação desencadeada esta semana, que teve também a participação do delegado regional de São Miguel dos Campos, Nilson Alcântara, três suspeitos do crime foram presos: José Alisson do Nascimento, conhecido como “Tuta”, o vigilante Cícero Lúcio da Silva, o “Nem”, e Sérgio Batista dos Santos, conhecido como “Caçador”. A polícia investiga a participação de outros envolvidos no crime.

Os detalhes do duplo homicídio foram revelados no próprio interrogatório de “Tuta”, que confessou a autoria e apontou a participação dos demais envolvidos.

Segundo ele, o motivo do assassinato foi uma dívida que tinha com o empresário. “Chacal” cobrava o pagamento com insistência e, por isso, planejou o crime, combinando um encontro com a vítima em um posto de combustível às margens da rodovia BR-101, para supostamente fazer o citado pagamento.

Ele diz que o vigilante do posto conhecido como “Nem” sabia que o crime seria executado, inclusive dissera que não iria ter ninguém no local naquele horário para servir como testemunha.

O empresário chegou ao posto, por volta das 21h, em seu carro – um Fiat Palio, cor vermelha, placa OHJ-9657/AL, em companhia da esposa. Tão logo José Alberto cobrou a dívida, foi atingido com três disparos, morrendo instantes depois.

O corpo da vítima foi colocado na mala do automóvel e a esposa Quitéria foi levada para um canavial, no mesmo veículo, onde foi torturada para forçá-la a dizer onde estavam os bens do casal. Perto de meia-noite, voltaram para a cidade, tendo levado joias e dinheiro da casa do casal.

Em seguida, retornaram ao canavial, e a mulher foi morta e colocada dentro do Palio, onde já estava o corpo do empresário. O carro foi então queimado, junto com os corpos das vítimas.

A polícia descobriu que “Tuta” já foi preso em 2012, por porte ilegal de arma de fogo, e investiga a participação dele em outros crimes.

Somente quase quatro meses depois de terem sido achados dentro do veículo carbonizado, os corpos do casal José Alberto e Quitéria Mendes foram liberados para sepultamento, após terem sido identificados por meio de exames de DNA.

Fonte: Assessoria da Polícia Civil de Alagoas / Texto: Jaime Feitosa

Comentários

MAIS NO TH