Polícia

26 de janeiro de 2018 12:09

Cabo PM que matou esposa com sete tiros tem prisão decretada

Expedita da Silva, 37, foi socorrida com vida, mas não resistiu aos ferimentos

↑ Informações dão conta de que crime pode ter sido motivado por ciúmes. Foto: Arquivo Pessoal

O cabo PM Ivan Augusto teve a prisão decretada na manhã desta sexta-feira, 26, após matar a esposa Expedita da Silva, de 37 anos, que chegou a ser socorrida e encaminhada consciente para o Hospital Geral do Estado (HGE) no dia 19 deste mês, mas veio a falecer na última quarta-feira (24).

Vizinhos contaram que ouviram pelo menos sete disparos de arma de fogo. O porteiro do condomínio onde eles residiam no bairro do São Jorge, chegou a presenciar o policial militar fugir da cena do crime em alta velocidade em seu veículo e ainda gritar: “Chamem a polícia, matei minha esposa”.

Parentes da vítima comentaram que o relacionamento do casal era bastante conturbado e regado a ciúmes da parte dele. “Ele não queria que minha irmã trabalhasse, ainda chegou a alugar um ponto comercial, mas ameaça os homens que apareciam no estabelecimento. A escolha do local seria pela proximidade dele fazer rondas policiais, o que facilitaria ele a controlar”, comentou  João Celso, irmão de Expedita.

Ivan matou esposa no apartamento onde mora, no São Jorge, Maceió. (Foto: Arquivo Pessoal)

Ivan Augusto foi conduzido ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer exame de corpo de delito e deve seguir para o Presídio Militar, no bairro Cidade Universitária.

O delegado Robervaldo Davino disse que parte do inquérito será remetida à Delegacia de Crimes contra a Criança e o Adolescente, já que a filha do PM vinha sofrendo agressões. “Tanto a esposa quanto a filha sofriam agressões por parte dele. Mais um motivo para ser punido”.  O crime foi inclusive presenciado pela filha, que ainda teria chegado a pegar na arma do pai implorando que parasse.

O réu será enquadrado no crime de feminicídio.

Fonte: Tribuna Hoje / Com agências

Comentários

MAIS NO TH