Polícia

22 de novembro de 2016 20:05

Suspeitos de morte de professor da Ufal têm envolvimento com receptador foragido

Quatro foram apresentados por participação no crime que terminou com docente morto

Na tarde desta terça-feira (22), a Polícia Civil apresentou na sede da Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP-AL), no Centro de Maceió, quatro suspeitos de envolvimento na morte do professor Daniel Thiele, ocorrida em 20 de setembro deste ano em um canavial localizado entre os municípios de Pilar e Rio Largo. Os detidos fariam parte de uma organização criminosa que tomava parte no tráfico de drogas, homicídios e assaltos. A morte do professor ocorreu porque ele teria reagido a assalto quando o seu carro, um Ford Focus prata de placa NLZ-2301, estava sendo roubado. Ele morreu vítima de disparo de arma de fogo e, em seguida, o carro foi carbonizado com ele dentro já sem vida. A polícia vê o crime como uma tentativa de roubo com reação da vítima que terminou em latrocínio.

Dois irmãos foram presos temporariamente em seis de outubro, principalmente por causa de uma ligação feita com o chip do telefone do professor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Porém com dois dias da prisão, a defesa apresentou álibis para os parentes e comprovou que o chip realmente foi encontrado na beira de uma estrada e utilizado por acaso.

Os detidos no caso do professor e apresentados nesta terça foram: Tiago Anderson Lima da Silva, de 30 anos; Anderson da Silva Lima, de 29 anos, vulgo ‘Fósforo’ ou ‘Guel’; Luís Fernando Gonçalves de Oliveira, vulgo ‘Nenoi’, de 24 anos; e Fabiano da Silva Rocha, vulgo ‘Tucha’ ou ‘Tuchinha’, de 27 anos. Eles serão indiciados por latrocínio, ocultação de cadáver e integrar organização criminosa.

No final da primeira semana de investigação, segundo o delegado Filipe Caldas, a Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic) localizou onde estavam o jogo de rodas furtado durante o latrocínio e o aparelho celular. Pessoas distintas haviam adquirido os produtos do roubo por um valor muito abaixo do mercado. O jogo de roda, avaliado em R$ 7 mil, foi vendido por aproximadamente R$ 1.500,00.

As duas pessoas então identificaram o suspeito de receptação através do processo de reconhecimento fotográfico, quando fotos de 18 pessoas diferentes são mostradas. Ambas identificaram a mesma pessoa. A polícia não divulgou o nome já que as buscas por ele ainda estão sendo feitas e ainda existem mandados a cumprir.

Caso o suspeito não seja encontrado, a Polícia Civil deve divulgar a imagem do indivíduo e deve até colocar recompensa por informações que levem à captura.

As câmeras de monitoramento na Ufal e nas proximidades do aeroporto mostram o carro do professor e o carro dos suspeitos entrando e saindo da universidade em um curto intervalo de tempo, um atrás do outro no dia do crime. O veículo dos criminosos está apreendido na Deic.

O dono do referido veículo, Tiago Anderson, foi abordado e já tinha sete passagens pela polícia e foi detido com uma pequena quantidade de drogas e munição. Ele foi preso em flagrante e mandado pelo latrocínio do professor foi cumprido. Tiago participou diretamente do crime dirigindo o carro no dia da morte de Daniel Thiele.

O Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) investigava a organização criminosa e um colaborador informou à Deic nomes de envolvidos no caso do professor. Um foi detido e outros conseguiram fugir. Anderson foi o detido que participou da execução. Ele teria desferido o tiro fatal na região posterior da cabeça.

Após Tiago ser detido, houve uma reunião entre alguns dos indivíduos que participaram da morte de Daniel. A investigação aponta que no dia do crime, os suspeitos no canavial ligaram para Luís Fernando e pediram que ele fosse ao local. Luís Fernando foi com Fabiano até lá em uma moto para auxiliar os executores.

Segundo Filipe Caldas, ninguém revelou qual a participação de Luís Fernando e Fabiano no crime. A perícia constatou o traçado da moto na cena do crime. Tiago e um dos foragidos estavam no carro apreendido. A polícia não sabe dizer em qual carro o executor, Anderson, estava no veículo.

O grupo é conhecido há bastante tempo pelas forças policiais com muita atuação em Maceió e adjacências principalmente em roubos de carro. Em foto que será divulgada posteriormente, Tiago Anderson é fotografado em outro momento no local de desmanche de veículos onde o carro do professor foi encontrado.

Quatro envolvidos com organização criminosa também foram apresentados

Jaciano Moreira dos Santos, de 30 anos; Paulo Henrique Fernandes Bezerra, de 24 anos; Eliseu Ramos da Silva, de 19 anos; e Marcos Vinícius Dantas de Oliveira, de 23 anos também foram apresentados. Eles fazem parte da mesma organização criminosa dos apresentados anteriormente.

(Foto: Sandro Lima)

Marcos Vinícius, Eliseu, Paulo Henrique, Jaciano

O grupo tem participação da tentativa em um duplo latrocínio ocorrido no Santo Eduardo no dia 20 de outubro e um homicídio na região do Aeroclube, por conta de tráfico de drogas. Além desses delitos, a organização é conhecida por ‘eliminar’ desafetos por guerra por território. O crime no Santo Eduardo teve a participação de Tiago Anderson, suspeito de envolvimento na morte de Daniel Thiele. Ele estava em moto com um comparsa para roubar motocicleta das vítimas.

O diretor da Deic, Mário Jorge Barros, afirmou que qualquer vítima dos suspeitos apresentados deve denunciar os crimes à Polícia Civil para aumentar as provas contra eles. A Deic deve ser procurada para as denúncias.

Comentários

MAIS NO TH