Mundo

Passa de mil o número de mortos após terremoto no Marrocos

Por G1 09/09/2023 13h55
Passa de mil o número de mortos após terremoto no Marrocos
Antiga mesquita na histórica cidade de Marrakech foi bastante danificada por terremoto - Foto: Reuters

Um terremoto de magnitude 6,8 (considerada forte e capaz de produzir grandes estragos) atingiu o Marrocos na noite desta sexta-feira (8), por volta das 19h30 (no horário de Brasília). Até a última atualização desta reportagem, eram 1.037 mortos e mais de 1.200 feridos (721 em estado crítico), de acordo com o balanço divulgado pelo Ministério do Interior marroquino.


O órgão afirma que o número de vítimas deve aumentar ao longo deste sábado (9), já que os trabalhos de resgate — dificultados por bloqueios e obstruções nas estradas — ainda estão em curso.

Segundo o Itamaraty, não há notícia de brasileiros entre os mortos e feridos.

O tremor produziu estragos tanto em aldeias da Cordilheira do Atlas (no noroeste da África), onde vivem 840 mil pessoas em condições vulneráveis a abalos sísmicos, como na cidade histórica de Marrakech, no oeste do Marrocos. As forças armadas do país e equipes de resgate foram deslocadas para as áreas mais afetadas.

O terremoto durou cerca de 15 segundos e aconteceu a uma profundidade de 18,5 km, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês). Há relatos de pessoas que também sentiram os tremores em países próximos, como Portugal, Espanha e Argélia.

Tremores não são incomuns na região

A região norte de Marrocos fica mais sujeita a terremotos por se localizar entre duas placas tectônicas (a africana e a euroasiática).

Em 2004, por exemplo, pelo menos 628 pessoas morreram e 926 ficaram feridas quando um terremoto sacudiu Alhucemas, no nordeste do país.