Mundo

2 de junho de 2021 18:59

Afirmação de que defensor da cloroquina foi indicado ao Nobel da Paz é insustentável

Vladimir Zelenko defende coquetel com hidroxicloroquina, medicamento que não tem eficácia alguma contra Covid-19

↑ (Imagem: Agência Alagoas)

Circula nas redes sociais a informação de que o médico ucraniano-americano Vladimir Zelenko, que propôs um tratamento contra a Covid-19 à base de hidroxicloroquina, seria um dos indicados ao Prêmio Nobel da Paz. A informação não procede. Não há provas de que ele seja um dos indicados ao título.

Um texto circula no Brasil com o link de uma matéria de um site americano que propaga informações sobre o chamado “Kit Covid”. “O médico que criou o protocolo de tratamento precoce para Covid-19 com hidroxicloroquina, zinco e azitromicina, foi indicado para o Prêmio Nobel da Paz. Em entrevista ele chamou categoricamente os negadores da eficácia da hidroxicloroquina/zinco de culpados de assassinato em massa. Será que a falsa narrativa agora será a de que o Prêmio Nobel não tem credibilidade ou algo parecido?”, diz a mensagem.

Na matéria, o autor reforça que Zelenko está na lista dos candidatos e faz um resumo da trajetória do médico na tentativa de provar que o tratamento precoce é eficaz. Ele ficou conhecido por promover um coquetel composto por hidroxicloroquina, zinco e azitromicina como parte de um tratamento ambulatorial experimental para Covid-19, o “Protocolo de Zelenko”. No entanto, não há nenhuma prova que o médico seja um dos indicados ao Prêmio.

Os conteúdos divulgados não informam qual seria o ano da possível premiação. No próprio site do Prêmio Nobel o nome de Zelenko não é mencionado nas listas dos contemplados. Se a expectativa é para a edição de 2021, a lista de indicados não foi divulgada. No caso do brasileiro Alysson Paolinelli, que foi indicado, foram as próprias instituições que realizaram a indicação que divulgaram, o que não foi o caso do doutor Vladimir, já que ele não divulgou nenhuma prova de que tenha sido indicado.

Além disso, o site de checagem E-farsas fez um levantamento de informações que confirmam que não há evidência da indicação do médico ao Nobel da Paz. Em um banner, o site oficial de Zelenko informa que ele é um dos indicados. A publicação disponibiliza um link de uma matéria do site Internet Protocol, mas o conteúdo foi retirado do ar.

O mesmo site americano que noticiou a possível indicação do médico cita que Zelenko receberia o prêmio com um grupo de médicos, mas isso não faz parte das regras do Nobel da Paz. A premiação não é destinada a grupos. Já em matérias como a do site UOL e RTP Notícias com as sugestões dos prováveis candidatos, o doutor não é mencionado. Outro fato importante é que ser indicado não significa ganhar o prêmio.

Vladimir Zelenko já foi citado em várias polêmicas envolvendo o tratamento sem eficácia comprovada contra a Covid-19 que ele defende. Os seus estudos com o coquetel de remédios contendo hidroxicloroquina não foram publicados em revista científica. Conteúdos publicados pelo médico foram removidos no Facebook, Youtube e Twitter por violarem os termos das plataformas. Vladimir também já foi citado pelo “Skeptical Scalpel”, que ironiza profissionais que “contribuem para o retrocesso da ciência”.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) já confirmou que a hidroxicloroquina não serve para evitar Covid-19, além do medicamento aumentar o risco de efeitos adversos.

Alagoas Sem Fake

Com foco no combate à desinformação, a editoria Alagoas Sem Fake verifica, todos os dias, mensagens e conteúdos compartilhados, principalmente em redes sociais, sobre assuntos relacionados ao novo coronavírus em Alagoas. O cidadão poderá enviar mensagens, vídeos ou áudios a serem checados por meio do WhatsApp, no número: (82) 98161-5890. Clique aqui para enviar agora.

Fonte: Agência Alagoas

Comentários

MAIS NO TH