Mundo

4 de maio de 2021 12:14

Trem do metrô da Cidade do México cai em avenida e deixa dezenas de mortos e feridos

Ao menos 23 pessoas morreram e 79 ficaram feridas, segundo a prefeita da capital mexicana. Resgate precisou ser suspenso devido ao risco de desabamento do restante do viaduto

↑ Local onde viaduto do metrô da Cidade do México desabou quando vagões passavam em 3 de maio de 2021. Dezenas de pessoas morreram e ficaram feridas (Foto: Henry Romero/Reuters)

Vagões do metrô descarrilaram e despencaram após um viaduto desabar na noite desta segunda-feira na Cidade do México (horário local, madrugada de terça-feira no Brasil).

Ao menos 23 pessoas morreram e 79 ficaram feridas, segundo autoridades locais.

Há crianças entre as vítimas e 7 feridos estão em estado grave, afirmou a prefeita da capital mexicana, Claudia Sheinbaum.

O viaduto da linha 12 do Metrô da cidade, que vai de Mixcoac a Tláhuac, ruiu entre as estações Los Olivos e Tezonco por volta de 22h30 (horário local, 0h30 de terça-feira em Brasília).

A estrutura e dois vagões desabaram sobre veículos que circulavam na avenida Tláhuac. Vários feridos conseguiram sair dos vagões por conta própria e uma pessoa saiu com vida de um automóvel que foi esmagado pelos escombros do viaduto, segundo a prefeita.

Dezenas de socorristas e bombeiros trabalharam durante a madrugada para retirar passageiros dos escombros, e o resgate chegou a ser interrompido devido ao risco de colapso.

Guindastes foram instalados no local para que o trabalho fosse retomado.

A prefeita, que inicialmente disse que uma viga aparentemente cedeu, disse que o procurador-geral do México e uma empresa externa investigariam a causa da tragédia.

Familiares buscam por desaparecidos

Gisela Rioja Castro, de 43 anos, foi até o local procurar o marido, Miguel Ángel Espinoza, de 42. Ela disse que o marido sempre pega aquele metrô após o trabalho, mas não chegou em casa e não atende ao telefone.

Gisela disse que imediatamente temeu pelo pior, quando ficou sabendo o que aconteceu, e ainda não obteve informações das autoridades.

Adrián Loa Martínez, de 46 anos, disse no local do acidente que seu meio-irmão e sua cunhada estavam em um carro atingido pela estrutura.

Ele disse que a cunhada foi internada em um hospital, mas temia que seu meio-irmão José Juan Galindo tivesse sido esmagado. “Ele está lá agora”, disse apontando para o local da tragédia.

Já José Martínez disse emocionado que normalmente pega o trem em direção a Tláhuac, mas escapou do acidente porque não conseguiu embarcar a tempo, após sair do trabalho. “Fui salvo por cerca de 15 minutos”.

Metrô da Cidade do México

Este é o segundo acidente no metrô da capital mexicana neste ano. Em janeiro, um incêndio nas instalações de controle do metrô deixou uma pessoa morta e 29 intoxicadas.

O incidente em um prédio de controle central do metrô interrompeu o serviço em várias linhas por semanas.

Em março do ano passado, uma pessoa morreu e 41 ficaram feridas após dois trens colidirem dentro da estação Tacubaya. Em 2015, um trem que não parou chocou-se com outro na estação da Oceania e 12 pessoas se feriram.

Inaugurado em 1969, o metrô da Cidade do México é um dos principais meios de transporte da capital e da região metropolitana, onde vivem cerca de 20 milhões de pessoas.

O metrô da cidade tem 226 km de extensão, 12 linhas e 195 estações e transporta mais de 1,6 bilhão de passageiros por ano.

Ele é o segundo maior da América do Norte, atrás apenas do de Nova York, e um dos mais baratos do mundo. As passagens custam cerca de 25 centavos de dólar (menos de R$ 1,50).

A Cidade do México é a capital do México e a maior cidade da América do Norte, com 9,2 milhões de habitantes. Para efeito de comparação, a cidade de São Paulo tem 12,3 milhões.

Linha 12 do metrô

A linha 12, na qual ocorreu o acidente desta segunda, é a mais nova e a mais extensa do metrô da cidade. Ela tem com 25,1 km de comprimento e foi inaugurada em 2012 pelo atual ministro das Relações Exteriores do México e então prefeito da capital, Marcelo Ebrard.

De janeiro a março deste ano, a linha transportou 15,9 milhões de passageiros (mais de 5,3 milhões de pessoas por mês). A mais movimenta é a linha 1, com 22,5 milhões (7,5 milhões por mês).

A linha teve que ser parcialmente fechada em 2013 para que os trilhos pudessem ser reparados, e críticas sobre problemas no projeto e na construção da linha surgiram após Ebrard deixar o cargo.

Ex-prefeito se manifesta

O ex-prefeito e atual ministro lidera os esforços do México para obter vacinas contra a Covid-19 e é considerado um potencial candidato à presidência nas eleições de 2024.

Após o acidente, Ebrard escreveu em uma rede social que “o que aconteceu hoje no metrô é uma tragédia terrível”.

“É claro que as causas devem ser investigadas e os responsáveis, ​​identificados”, escreveu o político. “Repito que estou inteiramente à disposição das autoridades para contribuir no que for necessário”.

Fonte: G1

Comentários

MAIS NO TH