Mundo

24 de novembro de 2020 17:26

Alagoana de 23 anos faz sucesso em país europeu

Formada em Ciência da Computação pela Ufal, Vanessa Soares foi admitida para cursar mestrado na Universidade de Tecnologia Austríaca

↑ Vanessa Soares, mestranda de Ciências da Computação em Universidade na Áustria (Foto: Arquivo/Redes Sociais)

Com 23 anos de idade, a maceioense Vanessa Soares Vieira é destaque na Áustria. Formada no ano passado em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), a jovem que tinha pré-matrícula na universidade pública TU Graz (Technique University of Graz), localizada na segunda maior cidade do país depois de Viena, ela passou por uma entrevista para ser admitida na universidade para mestrado em computação.

Desde abril de 2019 em continente europeu, a mestranda se tornou destaque e inspiração para muitos estudantes alagoanos e de todo o país oriundos de universidades públicas.  Além de cursar o mestrado, que termina em agosto de 2021, a ex-aluna da Ufal é engenheira de software júnior numa grande empresa do ramo, a Dynatrace – que é uma multinacional austríaca.

No último dia 6 de novembro, Vanessa foi entrevistada num dos maiores sites de tecnologia da Áustria. Na entrevista, a alagoana falou da sua rotina de trabalho no período da pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19) e relatou sua trajetória até chegar onde se encontra atualmente. Além disso, a jovem também foi personagem em outros portais de notícias e jornais da Europa.

Na matéria para o site europeu Talto, o título da matéria foi ‘The feeling of finishing a software feature from “head to toe” is amazing’ traduzindo para o português: A sensação de terminar um recurso de software da “cabeça aos pés” é incrível, no qual a engenheira júnior de software fala da rotina de trabalho e sua trajetória após se graduar na Ufal.

A jovem diz que o maior desafio foi iniciar o primeiro emprego e falou sobre quais habilidades são importantes para isso com as novas tecnologias. Durante a entrevista ao portal europeu, Vanessa deu um conselho para as pessoas que buscam alcançar seus objetivos e realizar os sonhos.

“Meu conselho para você é: apenas vá em frente! Se você nunca tentar, nunca saberá como será (possivelmente) bom. Quando vim para a Áustria pela primeira vez pensava em trabalhar só depois de terminar meu mestrado, mas não tinha nenhuma experiência além de pesquisa de graduação no Brasil. Achei que nunca teria experiência suficiente para entrar em uma boa empresa, mas tive coragem de me inscrever na Dynatrace e passar por todas as etapas e entrevistas até receber a ligação com a proposta de trabalho. Eles acreditaram no meu potencial e na minha vontade de fazer o melhor. E acho que todos deveriam acreditar em si mesmos dessa forma também, então esse seria o meu conselho. Seja corajoso e vá em frente! E como diríamos no Brasil: ‘o não deles você já tem’. Isso significa que você já não está naquela empresa, então o resultado só pode ser que tudo fique do mesmo jeito (com o ‘não’ que você já tem) ou mude o status e obtenha um ‘sim’”, relatou a mestranda.

Vanessa quando colou grau em Ciências da Computação na Ufal (Foto: Arquivo Pessoal)

A engenheira que trabalha 30 horas semanais, parte online, disse que aproveita os finais de semana para relaxar e conversar com os familiares e amigos no Brasil através de telefonemas e das redes sociais.

“Ela merece todo esse sucesso. É um orgulho para todos nós”, diz pai da estudante

O aposentado Vicente de Lima não esconde o orgulho que sente da filha. Ele conta que desde pequena ela já gostava de computador, de tecnologia.

“Desde novinha ela já gostava de computador. Quando entrou na universidade já começou a se destacar. Ela foi escolhida na Ufal para o Diretório Acadêmico do Instituto de Computação por um período, quando estudava lá”, comenta seu Vicente.

O pai orgulhoso lembra que a filha deixou algumas contribuições para a Ufal, entre elas foi para o IC [Instituto de Computação) da UFAL, que foi o conteúdo programático do curso de Ciências da Computação traduzido para o inglês técnico, uma vez que não existia esse documento em inglês, e que foi solicitado na pré-admissão para a TU Graz.

DEDICAÇÃO

O aposentado diz que a filha é dedicada em tudo o que faz. “Desde que ela chegou à Áustria ela faz curso de alemão, mesmo se comunicando em inglês no trabalho e na universidade – ela domina fluentemente o inglês, o que foi fundamental para conseguir o emprego e ir estudar por lá”.

Vicente conta ainda que enquanto ele se esforçava em Alagoas para tentar conseguir ajudar a filha financeiramente enquanto ela se mantinha e continuava os estudos, Vanessa já estava em busca de emprego. “Como ela trabalha muito com lógica binária (0 ou 1), ela quis dizer que quando saía de casa para procurar emprego, já tinha um não como resposta por não ter experiência de trabalho. E que ela estaria tentando mudar o status que já tinha de não para sim. Foi o que conseguiu com a admissão na Dynatrace”, conta.

Vicente e a filha Vanessa Soares quando bebê (Foto: Arquivo Pessoal)

Para Vicente a filha é um orgulho e eleva o nome da Ufal e de Alagoas. “Ela merece essa homenagem, por toda sua trajetória. Acredito que é um incentivo e inspiração para outros jovens alagoanos para não desistirem dos seus sonhos”.

Vicente conta ainda que eles estão sempre se comunicando e ela não esquece datas comemorativas. “Aniversário, dia dos pais – ela sempre está prestando homenagens’’, ressalta afirmando que a saudade é imensa, mas sabe que ela está realizando o sonho, ‘’em fevereiro ela estará aqui com a gente de férias’’.

Fonte: Tribuna Hoje / Lucas França

Comentários

MAIS NO TH