Mundo

22 de novembro de 2020 09:16

Manifestantes incendeiam o Congresso da Guatemala

↑ Congresso é incendiado na Guatemala em protesto contra o orçamento do governo para 2021 que contém propostas impopulares (EFE)

Centenas de manifestantes ocuparam neste sábado, 21 de novembro, o Congresso da Guatemala e incendiaram várias de suas janelas, segundo a agência EFE.Em sua maioria encapuzados, eles  arrombaram a porta de entrada do Parlamento e também as janelas, atirando tochas de fogo para dentro, sem a presença dos deputados no interior das instalações.

A apreensão do Parlamento surge na sequência de uma manifestação contra o Governo após a “aprovação expressa” do Orçamento para 2021 pelo Congresso. Os manifestantes foram dispersos do local com bombas de gás lacrimogêneo lançadas pela Polícia Nacional Civil.

Os bombeiros chegaram ao local para extinguir o incêndio sem que os danos fossem conhecidos no momento da redação desta nota.

A reação do presidente

Enquanto centenas de manifestantes ocupavam o Congresso, milhares de pessoas se manifestavam pacificamente contra o presidente da Guatemala, Alejandro Giammattei, a apenas um quilômetro de distância, em frente ao Palácio Nacional da Cultura (sede do governo).

O presidente guatemalteco reagiu às manifestações por meio de uma mensagem em suas redes sociais, na qual indicou que “você tem o direito de se manifestar de acordo com a lei”, mas “não podemos permitir que você vandalize bens públicos ou privados”.

A agência de notícias EFE informou que apenas dez meses após assumir o poder na Guatemala, as diferentes visões de futuro para o país abriram um fosso entre o presidente, Alejandro Giammattei, e seu vice-presidente, Guillermo Castillo, que pediu na sexta-feira o renúncia conjunta de ambos.

A ruptura entre Giammattei e Castillo não é irreversível nas palavras do próprio vice-presidente, mas levanta dúvidas sobre o futuro do Governo após a posse há menos de um ano, a 14 de janeiro de 2020.

As divergências entre os governantes foram se ampliando ao longo dos meses e também a comunicação e o diálogo entre os dois, praticamente inexistente em muitos trechos de 2020 segundo fontes do Poder Executivo, e como o próprio Castelo deu a entender nas aparências público.

A proposta de renúncia conjunta levantada por Castillo na sexta-feira em uma coletiva de imprensa teve origem no orçamento do estado para 2021 aprovado pelo Congresso na manhã de quarta-feira, e endossado por Giammattei na mesma sexta-feira, apesar do descontentamento popular, mas é apenas o último desacordo mais do que vários durante o ano.

“As coisas no país não vão bem”, destacou Castillo durante seu discurso sozinho na Casa Presidencial, poucos minutos após a transmissão pela rede de televisão Giammattei em que o presidente deu luz verde ao orçamento, acompanhado por todos os seus ministros no Palácio Nacional da Cultura (sede do Governo).

Comentários

MAIS NO TH