Mundo

18 de outubro de 2020 11:25

Sob clima de desconfiança no resultado, bolivianos escolhem seu novo presidente

Tribunal eleitoral suspendeu contgem de voto de forma digital e apuração deve durar mais dias.

↑ Votação na Bolívia é feita sob supervisão internacional

Cerca de 7,3 milhões de eleitores são chamados a participar neste domingo (18) e das eleições gerais na Bolívia para eleger seu presidente, vice-presidente, deputados e senadores para um mandato de cinco anos.

Essas eleições ocorreram quase um ano depois das de 20 de outubro passado, em que Evo Morales foi reeleito, mas foram anuladas no contexto de um golpe sob o pretexto contestado de fraude eleitoral.

O superintendente da missão das Nações Unidas para as eleições gerais bolivianas advertiu que estará vigilante contra ações violentas ou violações dos direitos humanos.

O governo de fato realiza um grande destacamento militar na Bolívia por ocasião das eleições gerais previstas para 18 de outubro, nas quais, segundo todas as pesquisas, o binômio MAS composto por Luis Arce e David Choquehuanca é o favorito. ganhar.

Observadora internacional das eleições na Bolívia, que ocorrem após um golpe de estado contra Evo Morales, a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR) diz que o mundo acompanha com atenção o processo, mas denuncia a militarização de La Paz. “O mundo está de olho na eleição da Bolívia. Por aqui,  representações internacionais p/ observar o processo: ONU, Centro Carter, Parlamento Europeu, Parlasul, Copal, Internacional Progressista, Grupo de Puebla… Cabe ao atual governo garantir que tudo transcorra na normalidade”, diz ela.

Contagem preliminar suspensa

O Tribunal Eleitoral da Bolívia suspendeu a contagem preliminar e teremos que esperar os resultados oficiais, que podem levar vários dias. O presidente da entidade, Salvador Romero, informou que a suspensão do novo sistema de Divulgação de Resultados Preliminares foi determinada porque os resultados dos testes não permitem ter certeza da contagem rápida.

Os resultados preliminares foram aprovados especificamente para fornecer os resultados iniciais da votação de 18 de outubro e em substituição ao polêmico sistema de Transmissão de Resultados Preliminares, que foi altamente questionado por permanecer quase um dia sem emitir dados e repentinamente retomado com um resultado para favor do então presidente Evo Morales.

“O Tribunal realizou, ao longo das últimas semanas, os testes e simulações. E queremos informar ao país que os resultados dos testes não nos permitem ter a certeza da divulgação completa dos dados que oferecem segurança ao país. Por isso, com seriedade técnica e motivado com responsabilidade, o TSE decidiu retirar o dia da votação ”, explicou Romero.

“O objetivo do Tribunal Superior Eleitoral é ter um cálculo que seja seguro para todos os cidadãos, seguro para as organizações políticas em competição e que os resultados sejam confiáveis”, disse ele e pediu paciência à população, pois os resultados oficiais serão “mais lentos “Mas com a“ plena certeza ”de que são os emitidos pela cidadania.

Fonte: Dialoguemos/Brasil 247

Comentários

MAIS NO TH